30/11/2011

Edward Mordrake



Edward Mordrake foi o suposto herdeiro de um pariato da Inglaterra do século XIX ele era considerado um homem brilhante e encantador - um erudito, um músico de mente brilhante. Diziam que ele muito bonito quando visto de frente - ainda, na parte de trás de sua cabeça havia uma segunda face, torcida e do mal, incapaz de comer ou falar mas era capaz de rir e chorar. Edward teria implorado aos médicos que removessem sua "cabeça demoníaca" pois ela supostamente sussurrava a ele coisas horríveis durante a noite, mas nenhum médico foi favorável a fazê-lo.


Foi dito que os olhos seguiam os espectadores e seus lábios que "algaravia" implacável e silencioso. Embora nenhuma voz sonora clara fosse ouvida, Edward jurou que muitas vezes ele era mantido acordado pelo ódio dos sussurros de seu "gêmeo demoníaco".








O método de sua morte também é diferente, às vezes por veneno, e em outras versões uma bala entre os olhos de seu irmão gêmeo diabólico coloca-lo fora de sua miséria. Em ambas as versões Edward deixa para trás uma carta pedindo que o "Cara de um demônio" seja destruído antes de seu sepultamento ", para que ele não continue seus terríveis sussurros em seu túmulo."
Leia Mais

29/11/2011

Caboclo D'água



O Caboclo d'Água é um ser mítico, defensor do Rio São Francisco, que assombra os pescadores e navegantes, chegando mesmo a virar e afundar embarcações. Para esconjurá-lo, os marujos do São Francisco fazem esculpir, à proa de seus barcos, figuras assustadoras chamadas carrancas. Outros lançam fumo nas águas para acalmá-lo. Também são cravadas facas no fundo de canoas, por haver a crença de que o aço afugenta manifestações de seres sobrenaturais.


Os nativos o descrevem como sendo um ser troncudo e musculoso, de pele cor de bronze e um unico, grande olho na testa. Apesar de seu tipo físico, o Caboclo d'Água consegue se locomover rapidamente. Apesar de poder viver fora da água, o Caboclo d'Água nunca se afasta das margens do rio São Francisco.


Quando não gosta de um pescador, ele afugenta os peixes para longe da rede, mas, se o pescador lhe faz um agrado, ele o ajuda para que a pesca seja farta. Há relatos de que ele também pode aparecer sob a forma de outros animais. Um pescador conta ter visto um animal morto boiando no rio; ao se aproximar com a canoa, notou que se tratava de um cavalo, mas, ao tentar se aproximar, para ver a marca e comunicar o fato ao dono, o animal rapidamente afundou. Em seguida, o barco começou a se mexer. Ao virar-se para o lado, notou o Caboclo d'Água agarrado à beirada, tentando virar o barco. Então o pescador, lembrando-se de que trazia fumo em sua sacola, atirou-o às águas, e o Caboclo d'Água saiu dando cambalhotas, mergulhando rio-abaixo.


Em junho de 2011, as supostas aparições deste ser mitológico em Barra Longa, estado de Minas Gerais, chegaram a ganhar destaque na mídia nacional. Diversos animais das propriedades rurais estariam sendo mortos misteriosamente, e foi relatado ainda a morte de um homem, que teria sido vítima deste ser. Foi oferecida uma recompensa de R$ 10 mil por uma foto do mostro, e foram organizados grupos para a busca de evidências do Caboclo.


Inclusive, no dia 29 de junho teve uma reportagem especial no programa da Ana Maria Braga, "Mais Você".


Leia Mais

28/11/2011

Itens Assombrados à Venda







Testemunhe alguns itens à venda em leilões online que seus donos garantem serem “amaldiçoados”…


Muito cuidado com aqueles produtos usados que gostaria de comprar no eBay: você pode estar levando uma alma penada ou um espírito zombeteiro e nada amistoso de brinde sem saber. Pelo menos há aqueles que são honestos em avisar sobre seus artigos nos anúncios, contando suas histórias e o que há por trás deles.


É o caso deste aparentemente inocente palhaço que, segundo o relato, foi encontrado em um quarto de hotel abandonado pelo leiloeiro e seu namorado. Após o carro do casal apresentar vários problemas no caminho do hotel para casa, eles levaram o brinquedo para uma vidente que não hesitou em responder: “este boneco é pura maldade”! Para livrarem-se do palhaço, eles estão cobrando US$ 66.






Se estamos falando de itens assombrados, não poderia faltar uma clássica tábua de ouija em nossa seleção – mas esta não é uma tábua qualquer, já que este artigo em questão é assombrado por elfos. Isso mesmo: elfos! De acordo com o leiloeiro, um dos espíritos que apareceram para conversar com os presentes chamava-se “Ailfrid” que, em élfico, quer dizer “Conselho Élfico” (alguém aí entende a língua para comprovar se é verdade?). A figura azul que vocês veem aí embaixo é, segundo o vendedor, a imagem de um “elfo do bem”. De qualquer maneira, a tábua de ouija élfica está à venda por US$ 16.






Outro item simplesmente obrigatório na lista: a famosa boneca assassina, toda retalhada e com sangue falso escorrendo. Essa aqui é vendida por US$ 46,66, com duas coisas grátis: o frete e os espíritos malignos. Os atuais donos garantem que, ao levar a boneca para casa, você passará a ouvir gritos de almas torturadas no inferno e presenciará distúrbios elétricos em sua residência…






Ao contrário da boneca acima, esta aqui quer ajudar você a se prevenir de incêndios. O vendedor conta que a boneca abriga a alma da menina Arson, que viu sua mãe morrer em um incêndio criminoso provocado por seu pai e, anos depois, morreu “ironicamente” em outro incêndio completamente diferente. Agora, Arson procura ajudar as pessoas da casa onde mora avisando sobre os perigos de um possível incêndio se você usar benjamins duplos, deixar o ferro de passar ligado… Por apenas US$ 22,97, você leva um alarme anti-incêndio sobrenatural em forma de boneca!






Já que o assunto são brinquedos possuídos, não vamos nos esquecer do cordeiro saltitante que traz a alma da menina Cindy dentro dele. Aparentemente, a garotinha que morreu prematuramente preferiu apossar-se do carneirinho de brinquedo guardado no sótão da casa em que vivia em vez de seguir sua viagem. De acordo com a vendedora, mãe de Cindy, você pode ouvir a voz da menina através do brinquedo de forma distorcida. O carneirinho é genuinamente assombrado, pois foi verificado por um “investigador paranormal profissional” que “comprovou” o fato. Agora, a mãe de Cindy quer ajudar sua filha morta a seguir viagem vendendo o carneirinho por US$ 20.
Leia Mais

26/11/2011

4 Registros Fantasmagóricos Assustadores



Fantasma, na crença popular, é a alma ou espírito de uma pessoa ou animal falecido que pode aparecer para os vivos de maneira visível ou através de outras formas de manifestação. Descrições de aparições de fantasmas variam no modo como estes se manifestam.


Por um momento, não há quem não prenda a respiração e imagine se aquilo que parecemos estar vendo não é verdade - não é verdade? Confira esses 5 casos.


1 - O Espírito da Escadaria Tulipa






Em 1966, o pastor Ralph Hardy estava tirando uma foto da escada em espiral (conhecida como "Escadaria Tulipa") na seção da Casa da Rainha do Museu Marítimo Nacional em Greenwich, Inglaterra, quando capturou esta imagem.


Peritos analisaram o negativo original e verificaram que não havia sido adulterado ou manipulado de forma alguma.


A foto serviu como prova de que muitos encontros fantasmagóricos na Casa da Rainha eram reais.


Passos, portas batendo, e vozes de crianças cantando eram muitas vezes ouvidos em torno da escada. Os visitantes do museu até eram cutucados por dedos invisíveis durante sua visita.


Aparições de corpo inteiro foram vistas em muitas ocasiões; uma delas parece estar limpando sangue do fundo das escadas.


Os historiadores dizem que, há 300 anos, uma empregada doméstica foi jogada do alto da escada e caiu 15 metros até sua morte, o que pode explicar a equipe de limpeza fantasma.


2 - O Fantasma do banco de trás








Em 1959, Mabel Chinnery foi visitar o túmulo de sua mãe em um cemitério britânico, quando tirou uma foto de seu marido, esperando sozinho no carro.


Quando a senhora Chinnery revelou o filme, eles perceberam que seu marido não estava esperando sozinho: a imagem mostra uma pessoa usando óculos sentada no banco de trás do carro, que a senhora Chinnery imediatamente reconheceu como sendo sua mãe, cujo túmulo que ela tinha acabado de visitar.


Um perito fotográfico que examinou a impressão determinou que a imagem da mulher não era nem um reflexo, nem uma dupla exposição, dizendo que a foto era verdadeira.


3 - O Espírito da "Toys ‘R' Us"








A loja "Toys ‘R' Us", em Sunnyvale, Califórnia, é o lar de um espírito chamado John - que está encostado na parede na foto acima.


Essa foto foi tirada durante uma filmagem de TV do programa "Isso é Incrível", e ninguém que estava no local no momento viu o homem - ainda assim ele apareceu na fotografia infravermelha.


Psíquicos, como a renomada Sylvia Browne, visitaram a loja várias vezes e realizaram sessões em que descobriram o nome de John, entre outras coisas.


A história é que John era um pregador que morava num rancho por volta de 1880 no terreno onde a loja agora se encontra.


Relatos de como ele morreu variam, mas o consenso geral é de que ele sangrou até a morte enquanto cortava lenha.


Empregados da loja contam que John brinca frequentemente com eles e com os clientes, seguindo pessoas até o banheiro e ligando as torneiras de água, jogando bonecas da prateleira, e sussurrando os nomes dos funcionários em seus ouvidos, só para eles se virarem e não virem ninguém perto deles.


4 - Fantasma bebê






Em 1946, a senhora Andrews tirou esta foto na lápide de sua falecida filha, em Queensland, Austrália.


Sua filha tinha apenas 17 anos quando morreu, no ano anterior. Quando o filme foi revelado, a senhora Andrews ficou chocada ao ver a imagem de uma menina, bebê, olhando diretamente para sua câmera.


Não havia crianças no cemitério naquele dia, e a senhora Andrews não conhecia nenhum bebê cuja foto tivesse tirado com sua câmera.


Ela também observou que a criança não se parecia com a própria filha, quando era bebê. Anos mais tarde, o pesquisador paranormal australiano Tony Healy investigou o caso e encontrou os túmulos de duas meninas muito próximas ao túmulo da filha da senhora Andrews.
Leia Mais

Codex Gigas - A Bíblia do Diabo


O Codex Gigas (Latim, que significa Livro Gigante) é considerado o maior manuscrito medieval existente no mundo. Foi criado no início do século XIII, presumivelmente no mosteiro beneditino de Podlažice na Boémia (actual República Checa), e agora está preservado na Biblioteca Nacional da Suécia, em Estocolmo. É também conhecido como a Bíblia do Diabo, devido a uma grande figura do diabo no seu interior e da lenda em torno da sua criação.


Aparência


O códice tem capas de madeira, revestidas de couro e ornamentadas com motivos metálicos. Com 92 cm de altura, 50 cm de largura e 22 cm de espessura, é o maior manuscrito medieval conhecido. Atualmente é constituído por 310 folhas de velino (uma espécie de pergaminho), mas há indícios de algumas páginas terem sido retiradas da versão original. Não se sabe quem o fez, nem se conhecem as razões de as páginas terem sido removidas, embora se pense que algumas delas pudessem conter as regras monásticas dos beneditinos. O códice pesa cerca de 75 kg, e o velino nele usado foi elaborado a partir de pele de vitelo (ou pele de jumento, segundo algumas fontes), num total de 160 animais.


História


Uma nota na primeira página indica os monges do mosteiro beneditino de Podlažice, localizado perto de Chrudim e destruído durante o século XV, como os primeiros proprietários do códice. A reduzida dimensão deste mosteiro e a aparente escassez de recursos humanos e materiais faz levantar dúvidas sobre a sua capacidade de produção duma obra desta dimensão.
Os registos nela contidos terminam no ano de 1229. A ausência de qualquer referência à morte do rei da Boémia, Ottokar I, ocorrida em Dezembro do ano seguinte, sugere que a data mais provável para a sua conclusão é o final do ano de 1229 ou o início de 1230.
Devido a dificuldades financeiras do mosteiro de Podlažice, o códice foi mais tarde penhorado aos Cistercienses do mosteiro de Sedlec. A mesma nota na primeira página estabelece que em 1295 o códice voltou à posse dos beneditinos, após ter sido comprado pelo mosteiro de Břevnov. De 1477 a 1593, foi conservado na biblioteca de um mosteiro em Broumov até ter sido levado para Praga em 1594 para fazer parte da colecção de Rodolfo II.
No fim da Guerra dos Trinta Anos, em 1648, a colecção completa foi saqueada pelo exército sueco e, de 1649 a 2007, o manuscrito foi mantido na Biblioteca Nacional da Suécia.
Em 24 de Setembro de 2007, após 359 anos, o Codex Gigas voltou a Praga, a título de empréstimo, e esteve exposto na Biblioteca Nacional Checa até Janeiro de 2008.




Conteúdo






Ilustração do Diabo (página 290). A lenda conta que o códice foi criado por um monge com a ajuda do Diabo.
O Codex inclui toda a versão Vulgata Latina da Bíblia, exceto para os livros de Actos e Apocalipse, provenientes de uma versão pré-Vulgata. Estão também incluídos a enciclopédia "Etymologiae" de Isidoro de Sevilha, "Antiguidades Judaicas" e "Guerras dos Judeus" de Flávio Josefo, "Chronica Boemorum" (Crónica dos Boémios) de Cosmas de Praga e vários tratados sobre medicina. Pequenos textos completam o manuscrito: alfabetos, orações, exorcismos, um calendário com as datas de celebração de santos locais e registo de acontecimentos relevantes, e uma lista de nomes, possivelmente de benfeitores e de monges do mosteiro de Podlažice. Todo o documento está escrito em latim.
O manuscrito contém figuras decoradas (iluminuras) em vermelho, azul, amarelo, verde e dourado. As letras maiúsculas que iniciam os capítulos estão elaboradamente decoradas com motivos que, frequentemente, ocupam grande parte da página. O Codex tem um aspecto uniforme pois a natureza da escrita não é alterada em toda a sua extensão, não evidenciando sinais de envelhecimento, doença ou estado de espírito do escriba. Isto levou a que se considerasse que todo o texto foi escrito num período de tempo muito curto (ver Lenda). No entanto, atendendo ao tempo necessário à marcação das guias de delimitação das linhas e das colunas, à escrita do texto, e ao desenho e pintura das ilustrações, os peritos acreditam que o livro terá levado mais de 20 anos a ser concluído.
A página 290 contém apenas uma figura original de um diabo, com cerca de 50 cm de altura. Algumas páginas antes desta, estão escritas sobre um velino escurecido e os caracteres são mais esbatidos que no resto do manuscrito. A razão para a diferença nas cores é que o velino, por ser feito a partir de peles animais, escurece quando exposto à luz. No decurso dos séculos, as páginas mais expostas acabaram por ter um aspecto mais escuro.


Lenda


Segundo a lenda, o escriba foi um monge que quebrou os votos monásticos e foi condenado a ser murado vivo. A fim de evitar esta severa sanção, ele prometeu a criação, em uma única noite, de um livro que glorificaria o mosteiro para sempre e que incluiria todo o conhecimento humano. Perto da meia-noite, ele teve a certeza que não conseguiria concluir esta tarefa sozinho e, por isso, fez uma oração especial, não dirigida a Deus, mas ao querubim banido, Lúcifer, pedindo-lhe que o ajudasse a terminar o livro em troca da sua alma. O monge vendeu, assim, a sua alma ao diabo. O diabo concluiu o manuscrito do monge e foi acrescentada uma imagem do diabo como agradecimento pela sua ajuda.
Apesar desta lenda, o códice não foi proibido pela Inquisição e foi analisado por muitos estudiosos ao longo dos tempos.
Considerava-se por muito tempo que esta versão de condenação ao emparedamento do monge era verdadeira, devido à interpretação precipitada da palavra Inclusus, como sendo emparedamento. Na verdade foi reconsiderada esta tradução como sendo "recluso". Seria um monge que foi condenado, ou se condenou à reclusão no monsteiro para realizar o trabalho de uma vida. Se reforça essa versão pela "dedicatória" encontrada no final do livro: hermanus inclusus, ou "irmão reclusos" ou "irmãos da clausura".
Leia Mais

© Dállia Negra - 2016 | Template feito por: Adorável Design | Imagens de ícones e imagem do cabeçalho por: Jaque Design