30/04/2012

Oxóssi



Oxóssi (Òsóòsi) é o deus caçador, senhor da floresta e de todos os seres que nela habitam, orixá da fartura e da riqueza. Actualmente, o culto a Oxóssi está praticamente esquecido em África, mas é bastante difundido no Brasil, em cuba e em outras partes da América onde a cultura iorubá prevaleceu. Isso deve-se ao facto de a cidade de Kêtu, da qual era rei, ter sido destruída quase por completo em meados do século XVIII, e os seus habitantes, muitos consagrados a Oxossi, terem sido vendidos como escravos no Brasil e nas Antilhas. Esse facto possibilitou o renascimento de Kêtu, não como estado, mas como importante nação religiosa do Candomblé.


Oxóssi é o rei de Kêtu, segundo dizem, a origem da dinastia. A Oxóssi são conferidos os títulos de Alakétu, Rei, Senhor de Kêtu, e Oníìlé, o dono da Terra, pois em África cabia ao caçador descobrir o local ideal para instalar uma aldeia, tornando-se assim o primeiro ocupante do lugar, com autoridade sobre os futuros habitantes. É chamado de Olúaiyé ou Oni Aráaiyé, senhor da humanidade, que garante a fartura para os seus descendentes.




Na história da humanidade, Oxóssi cumpre um papel civilizador importante, pois na condição de caçador representa as formas mais arcaicas de sobrevivência humana, a própria busca incessante do homem por mecanismos que lhe possibilitem se sobressair no espaço da natureza e impor a sua marca no mundo desconhecido.


A colecta e a caça são formas primitivas de busca de alimento, são os domínios de Oxóssi, orixá que representa aquilo que há de mais antigo na existência humana: a luta pela sobrevivência. Oxóssi é o orixá da fartura e da alimentação, aquele que aprende a dominar os perigos da mata e vai em busca da caça para alimentar a tribo. Mais do que isso, Oxóssi representa o domínio da cultura (entendendo a flecha como utensílio cultural, visto que adquire significados sociais, mágicos, religiosos) sobre a natureza.


Astúcia, inteligência e cautela são os atributos de Oxóssi, pois, como revela a sua história, esse caçador possui uma única flecha, por tanto, não pode errar a presa, e jamais erra. Oxóssi é o melhor naquilo que faz, está permanentemente em busca da perfeição.


Em África, os caçadores que geralmente são os únicos na aldeia que possuem as armas, têm a função de salvar a tribo, são chamados de Oxô, que significa guardião e wúsí que significa popular, ouseja Osowusí e na expressão populara cabou virando Oxóssi. Oxóssi também foi um Òsó, mas foi um guardião especial, pois salvou seu povo do terrível pássaro das Iyá-Mi.


Outras histórias relacionadas com Oxóssi apontam-no como irmão de Ogum. Juntos, eles dominaram a floresta e levaram o homem à evolução. Além de irmão, Oxóssi é grande amigo de Ogum – dizem até que seria seu filho, e onde está Ogum deve estar Oxóssi, as suas forças completam-se e, unidas, são ainda mais imbatíveis.


Oxóssi mantém estreita ligação com Ossaim (Òsanyìn), com quem aprendeu o segredo das folhas e os mistérios da floresta, tornou-se um grande feiticeiro e senhor de todas as folhas, mas teve que se sujeitar aos encantamentos de Ossaim.


A história mostra Oxóssi como filho de Iemanjá, mas a sua verdadeira mãe, segundo o mais antigos, é Apaoká a jaqueira, que vem a ser uma das Iyá-Mi, por isso a intimidade de Oxóssi com essa árvore.


A rebeldia de Oxóssi é algo latente na sua história. Foi desobedecendo às interdições que Oxóssi se tornou orixá.


Tal como Xangô, Oxóssi é um orixá avesso à morte, porque é expressão da vida. A Oxóssi não importa o quanto se viva, desde que se viva intensamente. O frio de Ikú (a morte) não passa perto de Oxóssi, pois ele não acredita na morte.


Características dos filhos de Oxóssi


Os filhos de Oxóssi são pessoas de aparência calma, que podem manter a mesma expressão quando alegres ou aborrecidas, do tipo que não exterioriza as suas emoções, mas não são, de forma alguma, pessoas insensíveis, só preferem guardar os sentimentos para si.


São pessoas que podem parecer arrogantes e prepotentes, e às vezes são. Na realidade, os filhos de Oxóssi são desconfiados, cautelosos, inteligentes e atentos, seleccionam muito bem as amizades, pois possuem grande dificuldade em confiar nas pessoas. Apesar de não confiarem, são pessoas altamente confiáveis, das quais não se teme deslealdade; são incapazes de trair até um inimigo. Magoam-se com pequenas coisas e quando terminam uma amizade é para sempre.


São do tipo que ouve conselhos com atenção, respeita a opinião de todos, mas sempre faz o que quer. Com estratégia, acabam por fazer prevalecer a sua opinião e agradando a todos.


Altos e magros, os filhos de Oxóssi possuem facilidade para se mover, mesmo entre obstáculos. O seu andar possui leveza e elegância. A sua presença é sempre notada, mesmo que não façam nada para isso acontecer.


Os filhos de Oxóssi gostam de solidão, isolam-se, ficam à espreita, observam atentamente tudo que se passa à sua volta. Curiosos, percebem as coisas com rapidez, são introvertidos e discretos, vaidosos, distraídos e prestativos, comportamento típico de um caçador, provedor do seu povo.


#Dia da Semana: Quinta-feira


#Saudação: Okê, ou Okê Arô!


#Cores: Verde e Azul Claro


#Símbolo: Ofá (Arco e flexa), lanças e demais objetos de caça


#Alimento Principal: Axoxo ( milho cozido )
Leia Mais

29/04/2012

Simbologia Macônica



Estrela de cinco pontas: sendo a Estrela do Oriente ou a Estrela Iniciação, é a que simbolizou o nascimento de Jesus. É o símbolo do Homem Perfeito, da Humanidade plena entre Pai e Filho; o homem em seus cinco aspectos: físico, emocional, mental, intuitivo e espiritual. Totalmente realizado e uno com o Grande Arquiteto do Universo. É o homem de braços abertos, mas sem virilidade, porque dominou as paixões e emoções. Na Maçonaria e nos seus Templos, a abóbada celeste está adornada de estrelas. A Estrela é o emblema do gênio Flamejante que levam às grandes coisas com a sua influência. É o emblema da paz, do bom acolhimento e da amizade fraternal.


Acácia: a planta símbolo por excelência da Maçonaria; representa a segurança, a clareza, e também a inocência ou pureza. A Acácia foi tida na antiguidade, entre os hebreus, como árvore sagrada e daí sua conservação como símbolo maçônico. Os antigos costumavam simbolizar a virtude e outras qualidades da alma com diversas plantas. A Acácia é inicialmente um símbolo da verdadeira Iniciação para uma nova vida, a ressurreiçãora uma vida futura.


Avental: símbolo do trabalho maçônico. Tem a forma de um retângulo, encimado por um triângulo; nos dois primeiros graus são simples, sem enfeites ou adornos, e de tecido branco. Os aventais dos demais graus, tem cor e desenhos variados, conforme os graus que representa e conforme o rito adotado. O fundo porém é sempre branco.




Colunas: símbolos dos limites do mundo criado, da vida e da morte, do elemento masculino e do elemento feminino, do ativo e do passivo. Simboliza também a força, a sustentação.

Compasso: símbolo do espírito, do pensamento nas diversas formas de raciocínio, e também do relativo (círculo) dependente do ponto inicial (absoluto). Os círculos traçados com o compasso representam as lojas. No Grau de Aprendiz, ele está embaixo do esquadro, indicando que existe, por enquanto, a predominância da matéria sobre o espírito. A abertura indica o nível do conhecimento humano, sendo esta limitada ao máximo de 90º, isto é ¼ do conhecimento.
O nº 9: é o princípio da Luz Divina, Criadora, que ilumina todo pensamento, todo desejo e toda obra, exprime externamente a Obra de Deus que mora em cada homem, para descansar depois de concluir sua Obra. O homem novenário que pelo triplo do ternário, é a união do absoluto com o relativo, do abstrato com o concreto. O número nove, no simbolismo maçônico, desempenha um papel variado e importante com significados aplicados na sua forma ritualística. O número 9, é o número dos Iniciados e dos Profetas.

Delta: também chamado de Triângulo Fulgurante, representa na Maçonaria o Supremo Criador de todas as coisas, cujo olho luminoso é o Olho da Sabedoria e da Providência, que observa tudo que vê e provê. Ele simboliza também, os atributos da Divindade: Onipresença, Onividência e Onisciência, que o verdadeiro maçom tem como lembrete divino de sua suprema relevância para sua vida.

Esquadro: resulta da união da linha vertical com a linha horizontal, é o símbolo da retidão e também da ação do Homem sobre a matéria e da ação do Homem sobre si mesmo. Significa que devemos regular a nossa conduta e as nossas ações pela linha e pela régua maçônica, pelo temor de Deus, a quem temos de prestar contas das nossas ações, palavras e pensamentos. Emite a idéia inflexível da imparcialidade e precisão de caráter. Simboliza a moralidade.

Malhete: pequeno martelo; emblema da vontade ativa, do trabalho e da força material; instrumento de direção, poder e autoridade. Um aspecto fundamental na utilização deste instrumento é o do discernimento e lógica que devem conduzir a vontade. Utilizando ao caso, com força apenas, ele passará a ser um instrumento de destruição, incompatível com a Maçonaria.

Pavimento em mosaico: chão em xadrez de quadrados pretos e brancos, com que devem ser revestidos os templos; símbolo da diversidade do globo e das raças, unidas pela Maçonaria; símbolo também da oposição dos contrários, bem e mal, espírito e corpo, luz e trevas.

Pedra bruta: símbolo das imperfeições do espírito que o maçom deve procurar corrigir; e também, da liberdade total do Aprendiz e do maçom em geral. As arestas desta Pedra Bruta, cabe ao aprendiz desbastar, disciplinando, educando, instruindo sua personalidade, objetivando vencer suas paixões e subordinar sua vontade à prática do bem.

A letra G: é a sétima letra do nosso alfabeto e que sabiamente, os Maçons apresentam grandes questionamentos, e que através de estudos, apresentamos um resumo dos diversos significados:
Gravitação - É a força primordial que rege o movimento e o equilíbrio da matéria;
Geometria ou a Quinta Ciência - É fundamento da ciência positiva, simbolizando a ciência dos cálculos, aplicada à extensão, à divisão de terras, de onde surge a noção da parte que nelas a nós compete, na grande partilha da humanidade e dos direitos da terra cultivada;
Geração - É a vida perpetuando a série dos seres. Força Criadora que se acha no centro de todo ser e de todas as coisas;
Gênio - É a inteligência humana a brilhar com seu mais vivo fulgor;
Gnose - É o mais amplo conhecimento moral, o impulso que leva o homem a aprender sempre mais e que é o principal fator do progresso;
Glória - a Deus;
Grandeza - O homem, a maior e mais perfeita Obra da Criação;
Gomel - Uma palavra hebraica, entende-se os deveres do homem para com Deus e os seus semelhantes.
Concluiremos, sintetizando que, a letra G é, realmente, o grande segredo maçônico, segredo tão secreto e misterioso, que nem mesmo os mais cultos e sábios Maçons conseguem decifrá-lo.


Templo: símbolo da construção maçônica por excelência, da paz profunda para que tendem todos os maçons.


Três pontos; triângulo: símbolo com várias interpretações, aliás conciliáveis: luz, trevas e tempo; passado, presente e futuro; sabedoria, força e beleza; nascimento, vida e morte; liberdade, igualdade e fraternidade.


Obs: Há muitos outros símbolos na Maçonaria. Apresentamos aqui, somente os mais difundidos e conhecidos.
Leia Mais

28/04/2012

Despertando a Guerreira que existe em você!



Quando você precisar da sua energia guerreira e da sua natureza firme e assertiva (este pode ser um ritual dedicado a um Deus ou Deusa), acorde cedo, numa manhã de segunda-feira e lance este encantamento antes de iniciar o seu dia.
Tome uma chuveirada revigorante usando gel para o corpo à base de babosa e uma esponja não muito macia, para retirar as células mortas da pele e deixá-la mais macia e brilhante.
Fique algum tempo sob a água tépida do chuveiro, enquanto deixa ir embora toda a energia de timidez e de acanhamento. Sinta que está se enchendo de um novo vigor e energia.
Quando se sentir revigorada, enrole-se numa toalha e mire-se no espelho do banheiro ao mesmo tempo que diz:


" Eu sou uma guerreira e reconheço minha força eterna. Não há nada que não possa alcançar, nem um caminho que não possa seguir,
Não existem barreiras para o meu sucesso.
Eu sou uma mulher cheia de poder ".


A Verdadeira Guerreira


“A verdadeira guerreira não se perturba
quando as circunstâncias da vida escapam do seu controle,
porque ela não pretende controlar a vida...
Ela precisa e deseja viver...
A verdadeira guerreira tem consciência de que o pássaro
que voa de suas mãos precisa e deseja voar,
assim como a chuva que refresca seu coração
precisa e deseja chegar...
Pássaro e chuva são idas e vindas da vida,
que a verdadeira guerreira alcançou compreender...
Idas e vindas que hoje,
naturalmente, ela deixa acontecer...”


( xamã Sherotáia Kê Takoshemí)
Leia Mais

Museu Mütter



Se existe na Terra um lugar horripilante onde você pode ver algumas das coisas mais bizarras do mundo, esse local é o Museu Mütter, onde não são expostos quadros ou qualquer outro tipo de arte, nele você vê doenças, pedaços de corpos e restos dos casos mais estranhos da medicina mundial.


Criado em 1858 para servir de apoio para os estudantes da faculdade da Filadélfia, ele acabou ganhando fama conforme seu acervo estranho foi crescendo, hoje em dia ele é visitado centenas de pessoas diariamente, que saem de lá assustadas e algumas até passam mal por verem as bizarrices que existem dentro desse museu.




No lugar é possível ver os mais diversos tipos de doenças que atacam os seres humanos, indo desde deformidades até a estátua de cera de uma mulher que tem o chifre. Em alguns setores é possível ver corpos reais de pessoas embalsamadas após a morte, todos com as mais diversas falhas, indo desde problemas de coluna até deformações graves, que deixam qualquer pessoa assustada.


Existe também certa sala cheia de rostos humanos cortados em expostos:












Leia Mais

27/04/2012

Ningen

Criptozoologia é o estudo de espécies animais lendárias, mitológicas, hipotéticas ou avistadas por poucas pessoas. Inclui também o estudo de ocorrências de animais presumivelmente extintos. A criptozoologia aborda ainda os seus tópicos de um ponto de vista antropológico, procurando relacionar os mitos de várias culturas com animais extintos ou desconhecidos. O termo foi cunhado sobre as expressões cripto- (do grego kryptós, é, ón 'oculto') e zoologia (o ramo da Ciência que estuda os animais).


Os biólogos e zoólogos que seguem uma perspectiva mais tradicional, consideram a criptozoologia como uma pseudociência, fazendo um paralelo com a astrologia em relação à astronomia.
Apesar de alguns ramos da criptozoologia desafiarem a lógica científica, há exemplos que mostram que este ramo da biologia pode ter mais credibilidade do que à partida seria de esperar. Os criptozoólogos citam com frequência exemplos como a lula-gigante, o celacanto, o ornitorrinco e o dragão-de-komodo, todos animais reais e estudados que foram em tempos considerados fantasias alucinadas.



O Ningen (Do japonês "ニンゲン", "humano"), é uma criatura criptozoológica que teria sido vista nos mares gelados próximos da Antártida.


1. Descrição


O Ningen é descrito como uma criatura com aparência humana, medindo aproximadamente 20 a 30 metros de comprimento. Alguns rumores dizem que ele se parece com um humano normal, com pernas e braços, mas algumas outras descrições o apontam como tendo nadadeiras e até uma cauda, parecida com uma sereia. Sua pele seria toda branca, fazendo-o se misturar no ambiente ártico, com geleiras e icebergs, e em seu rosto apenas seus olhos e boca seriam visíveis.




2. Avistamentos


Originalmente, acredita-se que um grupo de pesquisadores japoneses que navegavam no mar gelado em busca de baleias, teria avistado uma "coisa" navegando ao longe. Julgando se tratar de um submarino estrangeiro os pesquisadores se aproximaram devagar, e só quando estavam perto o bastante foram perceber que não se tratava de um submarino ou qualquer outra máquina feita pelo homem, mas que aquilo era, na verdade, uma criatura viva.


Teoricamente, este seria o único relato de pessoas que se depararam com o Ningen, não existe nenhum outro relato. Mas, é possível encontrar alguns rumores sobre porque a criatura não foi mais avistada; seria pelo fato de ela aparecer mais de noite, sendo difícil fotografá-la e visualizá-la direito.




3. Opiniões


A maioria das opiniões sobre o Ningen são céticas, especialmente por causa da origem da lenda dessa criatura: Segundo dizem, tudo teria começado com uma postagem no site 2channel, em 2007, onde uma pessoa contava a história segundo um amigo/parente que trabalhava como pesquisador no mar. O post acabou se tornando tão popular que em questão de horas já estava circulando o mundo, o que teria criado a veracidade do relato. Há também o fato de que não existem fotos do Ningen, apenas montagens.
As únicas "provas" da existência do Ningen seria um screenshot feito no site Google Maps*, que mostra uma criatura branca no meio do mar, próximo à costa da Namíbia, e dois vídeos que mostra o ser sob a água, junto de alguns peixes. No entanto, é tudo considerado duvidoso.


Os mais crédulos acham que o governo tem relatos e imagens do Ningen, mas são mantidos em segredo porque aquilo poderia acabar com o grupo de pesquisas (!), dizem ainda que o governo instruiu às testemunhas para que nunca relatassem aos outros sobre o que viram.








Leia Mais

26/04/2012

Cartomancia


Podemos compreender como Cartomancia a arte de prever o futuro através de cartas, sejam elas do baralho tradicional, tarô ou baralho cigano.
Indícios da existência de jogos de carta são encontrados em várias partes do mundo: no Egito, no extremo Oriente, na Índia, no continente Americano, e até mesmo na Oceania.
A referência documental mais antiga já menciona uma data posterior a passagem do primeiro milênio: um dicionário chinês, publicado no ano de 1678 cita, numa de suas passagens, que em 1120 um oficial do imperador Huei-Song ofereceu-lhe um jogo de sua própria invenção, constituído por 32 tabletes de marfim relacionados com vários temas, como o céu, a terra, o homem e a sorte.
Posteriormente as cartas apareceram na Índia onde os naipes representavam as encarnações de VISHNU (um dos principais deuses do hinduísmo). Quando os ciganos, daquele país, migraram em direção ao Ocidente levaram as cartas e a cartomancia a toda a Ásia menor e ao Norte da África.
No século XVI, as cartas já eram conhecidas em toda as nações européias, se tornando uma verdadeira paixão, à qual recorriam os Reis e os Príncipes para saber o destino de seu reino.


A cartomancia têm sido há muito considerada um domínio especial dos ciganos, um povo nômade cujo folclore está repleto de lendas sobre poderes secretos e ritos mágicos. E assim como as artes milenares que eles praticam, a origem e o modo de ser ciganos permanecem encobertos pelo mistério, emaranhados em lendas e tradições.
Crê-se que os ciganos tenham vivido originalmente na Índia. Mas em algum momento do século IX, eles começaram um lento deslocamento para o oeste. No início do século XV, grandes grupos de pessoas de pele morena, vestidas exoticamente, alegando serem peregrinos religiosos vindos de um país chamado Pequeno Egito, começaram a aparecer na Europa. Esses "egípcios", ou gypsies, como eles se tornaram conhecidos em língua inglesa, foram de início bem recebidos pelos simpáticos habitantes. Mas algumas tribos errantes logo ganharam má reputação, como pequenos ladrões e trapaceiros sem convicção religiosa.
Considerados autoridades em assuntos ocultistas, aos ciganos foram creditados com freqüência talentos sobrenaturais para além mesmo de suas próprias crenças, e muitos negociaram com avidez seus supostos poderes com habitantes locais. Normalmente, apenas algumas moedas podiam comprar o que fosse: de ervas medicinais para dores a poções do amor e afrodisíacos. Mas foi pela prática das artes da profecia - leitura das cartas do tarô ou da borra do chá, da bola de cristal ou das linhas da mão - que os ciganos se tornaram mais conhecidos.
Atualmente, a arte da Cartomancia já se expandiu, não sendo mais atribuída apenas aos ciganos, embora a sua veracidade e funcionalidade sejam ainda profundamente contestadas por grande parte da sociedade.




O Baralho


O baralho comum contém 52 cartas, divididas em quatro naipes (paus, copas, espadas e ouros) com 13 cartas cada. Estas 13 cartas são compostas de números de um (ás) a dez, e mais três figuras (valete, dama e rei), o que resulta também em 40 cartas referentes à números e 12 cartas referentes à figuras. Estes números permitem uma grande variedade de associações simbólicas de diferentes tipos.
As 52 cartas do baralho podem ser relacionadas com as 52 semanas do ano, sendo que os naipes podem, por sua vez, serem associados às 4 estações do ano: ouros como primavera, paus como verão, copas como outono e espadas como inverno.
Alguns estudiosos do tema consideram que os quatro naipes também podem ser associados aos períodos de um dia ou de uma vida, sendo atribuída a cada um deles a regência de ¼ dessas extensões do tempo. O ás de cada naipe rege a primeira semana da estação do ano a ela relacionada. O rei tem a segunda semana sob sua influência, seguida pela dama, que rege a terceira. As regências se sucedem na ordem decrescente, até o dois, que domina a última semana da estação. Os quatro naipes podem ser associados também com os quatro elementos, (fogo, água, ar e terra) aspecto crucial na cartomancia.
As cartas vermelhas são geralmente associadas às características femininas, passivas, yin; as pretas relacionam-se, em geral, às características, masculinas, ativas, yang.




O Tarô
O tarô possui 78 cartas, composto por vinte e um trunfos, um curinga e quatro conjuntos de naipes com quatorze cartas cada — dez cartas numeradas e quatro figuras (uma a mais por naipe que o baralho lusófono).
Quando usado para fins divinatórios, cada carta é denominada de arcano, palavra que significa "segredos a serem desvendados" e foi incorporada pelos ocultistas do século XIX. Os trunfos e os curingas são conhecidos como arcanos maiores e as cinquenta e seis cartas de naipe são arcanos menores.
Os significados divinatórios são derivados principal-mente da Cabala e da alquimia medieval, mas atualmente há muitas outras vertentes provenientes da Astrologia, Numerologia e outros ramos.




O Baralho Cigano


Este baralho foi elaborado pelos ciganos com base no oráculo mais conhecido e difundido no mundo: o Tarô. Supõe-se que os ciganos até chegaram a usar as 78 lâminas do Tarô, porém, sentiram a necessidade de terem um oráculo próprio e resolveram adaptar as 78 lâminas em 36, surgindo assim, o Baralho Cigano.
Provavelmente a necessidade de se ter um oráculo próprio veio da natureza dos ciganos, que só usavam o que era deles e recusavam tudo o que fosse dos "Gadjos" (não-ciganos), pois não queriam ficar presos às idéias e símbolos que não pertenciam à sua cultura e cotidiano. Sendo assim, eles transformaram os desenhos, mudaram os significados do tarô original e puderam trabalhar com um instrumento próprio.
Encontramos, basicamente, no Baralho Cigano símbolos que falam da "vida ao ar livre", própria do mesmos: a natureza, rios, árvores, animais, etc.
Faz parte da tradição cigana a prática da adivinhação pelas mulheres. Normalmente elas possuem dois tipos de cartas: uma para o uso restrito ao grupo cigano, e outro para fazer adivinhação à comunidade.Aprenda você mesma a utilizar este recurso. Não é difícil. Você irá precisar apenas de um baralho comum, do tipo usado em jogos de salão.


Adquira um baralho novo e não o use para outra finalidade que não seja a da leitura. Passe-o pela fumaça de um incenso, para limpá-lo de quaisquer energias que tenham se agregado a ele. A partir daí, guarde-o embrulhado em um lenço quando não o estiver usando. Este mesmo lenço poderá ser usado como toalha para que você o arrume na hora da leitura.


ESPADAS:

Representa ação. Gera impulsos e movimentos rápidos, impensados.
A espada corta e separa. Indica rompimento e falsas amizades. Regida pelo Sol.
Ás: Solidão. Clareza nas decisões. Determinação nas atitudes.
2: Separação de um casal, de amigos ou de sociedade comercial. Incapacidade de tomar decisões.
3: Derrota de nossos projetos. Separação. Sentimentos feridos.
4: Luta comercial, inveja, traição. Doença grave. Solidão. Repouso forçado.
5: Falsidade, delírio, loucura. Adversário. Humilhações.
6: Rivalidade amorosa e infidelidade. Busca de novos horizontes.
7: Momentos difíceis que se aproximam. Mesquinharia. Falsidade
8: Calúnias e desespero. Má notícia. Obstáculo. Inibição.
9: Perda de emprego ou prestígio. Preocupação. Ansiedade.
10: Falência e acidentes. Saúde abalada. Desilusão. Sofrimento


COPAS:

Dedicado ao amor, às amizades profundas, ao encontro. Regido pela Lua.
Ás:O amor próximo; perspectivas favoráveis; promessas amorosas e amor correspondido.
2: União, casamento, alianças duradouras. Afinidade. Amor correspondido.
3: Representa o brilho pessoal, o reconhecimento social. Nascimento. Bom resultado.
4: Apatia. Insatisfação. Desinteresse.
5: Lágrimas. Depressão e mágoa. Despedida. Relação incompleta.
6: Representa a felicidade, a alegria e o encontro esperado.
7: Ilusão. Fuga da realidade. Aventura amorosa.
8: Abandono. Projeto que não chega ao final. Despedidas.
9: Bem estar. Prazer de viver. Reconhecimento dos esforços.
10: Harmonia familiar. Tranqüilidade. Alegria. Concretização de projetos.


PAUS:

Indica instabilidade, lutas permanentes. Regido pelo Fogo.
Ás: Oportunidade de crescimento. Realização das esperanças
2: Indiferença. Apatia. Enfraquecimento numa relação.
3: Nova atividade. Empreendimentos bem sucedidos.
4: Triunfo. Segurança nos relacionamentos. Sociabilidade.
5: Autoritarismo. Competitividade. Antagonismo.
6: Sucesso e reconhecimento. Vitória. Desejo realizado.
7: Parceria ameaçada. Adversários. Concorrentes invejosos.
8: Felicidade assegurada. Novidades. Indica acontecimentos rápidos.
9: Demora. Obstinação. Medo das novidades. Prudência excessiva.
10: Opressão. Falta de perspectivas. Tensão.


OUROS:

Indica abundância e multiplicação. Ë regido pela terra.
Ás: Sucesso. Sorte. Realização.
2: Inconstância. Leviandade. Despreocupação.
3: nossa grande oportunidade, o momento certo de arriscar.
4: Obsessão em guardar dinheiro. Egoísmo. Avareza.
5: Fracasso. União por interesse. Crise.
6: Generosidade. Tolerância e compreensão. Apoio recebido.
7: Boa oportunidade. Sucesso nos negócios. Esforço recompensado.
8: Criatividade. Aprendizagem. Início de uma atividade ou relacionamento
9: Realização. Satisfação. Lucro.
10: Prosperidade. Segurança. Tranqüilidade.


FIGURAS


#Reis
Despotismo tirania - Espadas
proteção - Copas
Conquista - Paus
Realização material - Ouro


#Damas
Severidade; frieza. - Espadas
Êxito.Intuição - Copas
Realização.Liberdade. - Paus
Riqueza. Segurança - Ouro


#Valetes
Traição; ciúme; falsidade. - Espadas
Amor sincero - Copas
Sucesso.Notícia importante - Paus
Responsabilidade. Concentração nos objetivos. - Ouros


AS FIGURAS REPRESENTANDO PESSOAS


#REIS (homem)
Intelectual; egoísta; dominador. - Espadas
Generoso; sensível; sedutor. - Copas
Protetor; severo; leal. - Paus
Dinâmico; teimoso; prático. - Ouros


#DAMAS (mulher)
Inteligente; triste; fria. - Espadas
Amorosa; generosa. - Copas
Protetora; compreensiva; amorosa. - Paus
Amável, sofisticada; interesseira. - Ouros


#VALETES (pessoa jovem)
Ciumento; desonesto; fofoqueiro. - Espadas
Romântico; tímido. - Copas
Companheiro; amigo. - Paus
Organizado; sensual; ambicioso. - Ouros


As figuras são mais importantes quando aparecem. As outras cartas agravam ou amenizam o impacto das figuras


MODO DE JOGAR:
(panorama geral)


Embaralhe e coloque sobre a mesa todas as cartas fechadas.
A pessoa para quem se está jogando escolherá livremente 20 cartas, uma a uma. Apanhe as 20 escolhidas e arrume-as da seguinte forma:


1 2 3 4 5 6 19 20
7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18


As cartas continuam fechadas. Serão abertas por linhas horizontais.
A primeira linha horizontal (cartas de 1 a 6 ) representa a situação amorosa e afetiva do consulente.
As colunas 1 e 2 referem-se ao passado. As colunas 3 e 4 referem-se ao presente e as 5 e 6 mostram o futuro próximo.
A segunda linha horizontal mostra a saúde do consulente.
A última irá falar sobre as finanças, trabalho, realizações pessoais, bens materiais.
As cartas 19 e 20 falam da regência do momento, ou seja, das energias favoráveis ou desfavoráveis que comandarão o caminho do consulente nos próximos 6 meses.
Leia Mais

25/04/2012

Microchip Será obrigatório a partir de Março de 2013


Obama aprovou a implantação do microchip nos E.U.A como parte da reforma dos cuidados de saúde em 2013. O microchip será obrigatório, sem ele os Americanos não poderão acessar os serviços de Saúde.


Pela lei, a partir de março do próximo ano de 2013, cada cidadão americano é obrigado a implantar um microchip de identificação por radiofreqüência (RFID), conforme exigido pela Lei de cobertura universal de saúde, que terá inicio a partir de março como uma Reforma Sanitária.



O “Objectivo”


A criação de um registro nacional de identificação para permitir “um melhor acompanhamento de pacientes que queiram qualquer informação sobre sua saúde.” Na verdade, isso era esperado desde o final de 2004, conforme comprovado por um documento oficial do FDA. Este documento da FDA Food and Drug Administration, datado de 10 de dezembro de 2004 tem direito Classe II Orientação Especial do Documento: Implantável radiofreqüência Transponder Identificação do paciente e informações do Sistema de Saúde jurisdição (especial Orientação Classe II: Sistema Transponder Implantável de radiofreqüência para a identificação de pacientes e informações relacionadas à saúde) …



O que eles não revelam é que o microchip além de um transmissor é também receptor, entende o que está por vir leitor?


                  "A segunda besta faz também com que todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos. recebam uma marca na mão direita ou na fronte. 17 – E ninguém pode comprar nem vender se não tiver a marca, o nome da Besta ou número do seu nome.” Apocalipse 13.


Fonte: ultimasnoticiasnew, spychips
Leia Mais

24/04/2012

Santo Daime


O movimento religioso do Santo Daime começou no interior da floresta amazônica, nas primeiras décadas do século XX, com o neto de escravos Raimundo Irineu Serra. Foi ele que recebeu a revelação de uma doutrina de cunho cristão, a partir da bebida Ayahuasca (vinho das almas), por nós denominada Santo Daime.
A bebida, de uso bastante difundido pelos povos indígenas da região, é obtida pela coccão de duas plantas, o cipó Jagube (banesteriopsis caapi) e a folha Rainha (psicotrya viridis) ambas nativas da floresta tropical. Ela tem propriedades enteógenas, isto é, produz uma expansão de consciência responsável pela experiência de contato com a divindade interior, presente no próprio homem.


Segundo o próprio Mestre Irineu, ele recebeu essa Doutrina através de uma aparição de Nossa Senhora da Conceição,em uma das primeiras vezes que tomou a bebida, na região de Basiléia, Acre. Os hinos do Mestre, que ele começou a receber a partir do começo da década de 30 trouxeram uma forte ênfase nos ensinos cristãos e uma nova leitura dos Evangelhos à luz do Santo Daime, para afirmar, nos tempos de hoje, os mesmos princípios de Amor, Caridade e Fraternidade humana.


O Santo Daime reúne elementos cristãos, da tradição espírita europeia, indígenas e africanos num culto que conta também com a ingestão de uma bebida feita a partir dos mesmos elementos constituintes da ayahuasca, bebida sagrada utilizada pelos incas antes da chegada dos espanhóis à América e por várias tribos da região amazônica, mas com um feitio distinto do daquela.


Atualmente, estima-se em cerca de 10.000 o número de seguidores da doutrina no Brasil e no mundo. Há igrejas legalmente instituídas em quase todos os estados brasileiros e em países como Espanha e Holanda, além de grupos que celebram os cultos da doutrina em países como Canadá, Inglaterra, Suécia, República Tcheca, Austrália, Estados Unidos, Japão, Argentina, Chile, Uruguai, Venezuela(Ilha Marguerita) e Portugal.


Fundador

O Santo Daime foi fundado por um homem saído do povo. Raimundo Irineu Serra, Mestre Irineu como é chamado pelos seguidores do culto, era negro, neto de escravos, nascido na cidade maranhense de São Vicente de Férrer em 15 de dezembro de 1892, filho de Sancho Martinho Serra e Joana Assunção Serra, primogênito de uma família de cinco irmãos (Dico, Verônica, Maria e Nhá Dica).


Foi para o Acre a fim de trabalhar na demarcação de fronteiras, também atuou em seringais da região e na Guarda Nacional. Ali, na Amazônia, do alto de seu 1,98m, conheceu a ayahuasca em solo peruano, das mãos de um caboclo chamado Don Pizango. Segundo narra a tradição daimista, ele teve uma visão com a Virgem da Conceição, a Rainha da Floresta, que lhe "entregou" a doutrina do Santo Daime.


Mestre Irineu foi concebendo (ou "recebendo" para usar um termo daimista) a doutrina do Santo Daime durante alguns anos, submentendo-se a diversas provações de sua fé, tornando-se um exemplo de humildade, de amor ao próximo e de prática de princípios cristãos, tendo sido admirado em toda a Rio Branco de seu tempo.


Militar reformado e simpatizante da Arena, a admiração de que gozava o Padrinho Irineu ia desde gente simples que vivia nos igarapés e nas colônias ao redor de Rio Branco até autoridades civis e militares.
Juramidam, nome espiritual que recebe, deixou um legado de trabalho, força, fé e esperança. Mestre Irineu foi o fundador do CICLU- Centro de Iluminação Cristã "Luz Universal" em que se sagrou Mestre-Imperador.


Ainda vivo, viu surgir outros trabalhos religiosos que se utilizam da ayahuasca, como é o caso da Barquinha. Após sua morte, em 6 de julho de 1971, aconteceram dissidências no CICLU e várias igrejas se formaram a partir daí, no Grande Cisma.




Chá do Santo Daime (Ayahuasca)


daime
#Outros nomes
Chá do Santo Daime, yajé, caapi, vinho de deus. Na linguagem Quéchua, aya significa espírito ou ancestral, e huasca significa vinho ou chá.


#Aparência
Os métodos de preparo variam conforme a tradição de cada local e da ocasião em que o consumo se dá. De qualquer maneira, o processo é longo e leva quase um dia para o preparo. As diversas beberagens geralmente contêm talos socados do cipó caapi (Banisteriopsis caapi) mais as folhas da chacrona (Psichotria viridis).


#Efeitos
O chá de Santo Daime é um alucinógeno. Tal propriedade se deve à presença nas folhas da chacrona de uma substância alucinógena denominada N,N-dimetiltriptamina (DMT). O DMT é destruído pelo organismo por meio da enzima monoaminaoxidase (MAO). No entanto, o caapi possui uma substância capaz de bloquear os efeitos da MAO: a harmalina. Desse modo, o DMT tem sua ação alucinógena intensificada e prolongada.


Ayahuasca e Religião


No século passado, além do consumo da mistura entre as populações indígenas, várias igrejas adotaram o uso da ayashuasca em rituais sincréticos, especialmente no Brasil, onde os efeitos psicoativos são acoplados a conceitos das doutrinas Judaica, Cristã, Africana entre outras. As principais religiões deste módulo incluem a UDV (União do Vegetal), CEFLURIS (Santo Daime), Barquinha e o Alto Santo (Labilgalini Junior, 1998).


O uso da hoasca dentro de tais contextos religiosos foi oficialmente reconhecido e protegido pela lei no Brasil em 1987. Tais seitas incluíram a Ayahuasca em seus rituais de comunhão como um simbolismo comparável ao "pão e vinho". Estas igrejas argumentam que a poção ajuda a promover concentração pronunciada e contato direto com o plano espiritual. Segundo a União do Vegetal, a beberagem é o "veículo, meio" da ação religiosa e não o fim.
Calcula-se que o número de pessoas que fazem uso regular da Hoasca (i.e., aproximadamente 1x/mês), na América do Sul, excluindo-se as populações indígenas, poderia chegar a 15.000, isto em 1997 (Luna, L. E., 1997).


A primeira destas igrejas começou a ser formada na década de 1920 no Brasil, e hoje dois grupos, a União do Vegetal (UDV or 'Herbal Union') e o Santo Daime, continuam em amplo processo de crescimento. Estas igrejas neo-cristãs espalham-se pelas áreas urbanas das grandes cidades, em rituais que se repetem em geral uma vez por semana ou quinzena. Os membros da igreja cultivam as plantas necessárias ao feitio do chá, supervisionam seu preparo e estocagem. 
Em algumas religiões não é incomum que membros da seita, dado a longa duração dos cultos, tomem várias doses durante o curso de uma noite.


A UDV é a maior e mais organizada destas religiões e não permite o uso de Ayahuasca por pessoas que não sejam membros já efetivos da seita. É também contrária a uso de drogas bem como ao uso da Ayahuasca fora do contexto religioso, pois a considera "inadequada ao uso indiscriminado por parte de pessoas não-iniciadas e sem a orientação de um dirigente religioso".


Enquanto o uso regular da Ayahuasca ocorre raramente entre os indígenas- mesmo que a considerável porcentagem destes tenham-na experimentado em alguma fase de suas vidas- entre os membros das igrejas o consumo é estável numa base semanal ou quinzenal, dentro dos contextos cerimoniais.


Dentro da perspectiva religiosa, o potencial de expansão das seitas que usam ayahuasca é largo. Através da incorporação de uma substância psicoativa de tal peso em cerimônias religiosas podem ser alcançados efeitos nas práticas religiosas antes inexeqüíveis.
Leia Mais

23/04/2012

Monstro encontrado em Manaus


Um grupo de jornalistas do jornal Correio do Amazonas, de Manaus, foi solicitado para fazer uma reportagem sobre invasões de terra, muito frequentes aqui em Manaus, perto do bairro João Paulo. Chegando lá souberam sobre o estranho ser.

Os moradores da área são pessoas muito humildes e logo pensaram que o ser fosse coisa do diabo. No começo haviam 6 criaturas, mas mataram-as e conservaram somente uma no álcool. Segundo os moradores eles saiam as vezes do mato e o mais estranho era que andava em pé.


Houve em manaus muita discussão porque a criatura parecia com um animal de uma lenda da região, o mapinguari, um ser mitologico que é meio macaco, tem um olhos só, garras, cauda e pelo preto e come homens nas selvas quando está com fome. Descrição muito parecida com o estranho filhote achado.


No entanto, o veterinário Anselmo D'ffonseca, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), analisou o animal e deu o veredicto: era um gato com má formação genética.


Leia Mais

© Dállia Negra - 2016 | Template feito por: Adorável Design | Imagens de ícones e imagem do cabeçalho por: Jaque Design