30/09/2012

11 Maneiras Bizarras de Morrer



Com todo o respeito aos sábios e defensores das bolas de cristal em torno do mundo, você nunca saberá como e quando vai morrer. Há muitas maneiras de morrer, e algumas certamente são mais bizarras que outras. Mesmo causas naturais, como ataque cardíaco, podem ocorrer em circunstâncias muito estranhas. Embora no atestado de óbito se possa ler claramente "morreu enquanto dormia", as letras miúdas completam "depois que um satélite caiu pelo telhado". Ao longo da história, houve algumas mortes bem incomuns (e há até um prêmio criado especialmente para elas, o Darwin Awards). Átila, o huno, morreu de uma hemorragia nasal. Isadora Duncan, dançarina americana popular nos anos 1920, morreu estrangulada quando seu cachecol foi pego no eixo do carro em que ela estava passeando. Stanford White, arquiteto do Madison Square Garden, de Nova York, foi morto por um tiro no telhado do prédio que ele projetou. E o escritor Tennessee Williams morreu engasgado com uma tampa de garrafa. 



 11. Morte por bueiro 

 Essa morte bizarra e triste é um bom exemplo de má sorte trágica. Em 2008, um canadense morreu depois de tentar recuperar sua carteira roubada de uma boca de lobo. A carteira e alguns pertences foram roubados depois que o homem de 57 anos os deixara em um posto de gasolina. Ele chamou a polícia antes de encontrar a carteira jogada num bueiro próximo. O homem tentou sem sucesso alcançá-la pouco antes da polícia chegar, e esta o aconselhou a não tentar novamente. Mas o homem voltou depois, removeu a grade do bueiro e fez uma nova tentativa. Quando o policial que estava investigando o crime percebeu que o caminhão do homem tinha voltado, ele foi checar o bueiro e descobriu o homem preso pela cabeça vários metros abaixo da rua. A vítima ainda estava viva e assim ficou até que os bombeiros a tiraram de lá. Infelizmente, ele morreu no hospital logo. 



 10. Morte por desodorante 

 Em 1998, um garoto de 16 anos morreu na Inglaterra de ataque cardíaco depois de ser exposto a muito gás de desodorante. Na época da morte, a BBC afirmou que, desde 1971, mais de 130 pessoas haviam morrido depois de inalarem propositalmente gás de desodorante aerossol, mas a morte do garoto foi apenas um caso acidental [fonte: BBC]. Parece que ele era obcecado por higiene pessoal e cheiro de frescor, por isso ele vaporizava seu corpo todo com desodorante ao menos duas vezes por dia. O garoto exagerava tanto, que às vezes sua família podia sentir o cheiro no andar de baixo da casa. Apesar disso, eles nunca pensaram que o garoto estivesse em perigo. A autópsia revelou que ele tinha 10 vezes a quantidade letal de butano e propano em sua corrente sanguínea. Acontece que o garoto usou o desodorante em um espaço relativamente confinado, embora as embalagens recomendassem o uso em áreas bem ventiladas. Deve-se observar que em estudos realizados pela Associação Britânica de Fabricantes de Aerossóis e pela unidade de toxicologia do Hospital de George, em Londres, os pesquisadores não conseguiram reproduzir as condições que levariam a efeitos danosos ou fatais da excessiva vaporização de produtos aerossóis em espaços confinados. 

 9. Morte por barba 



 Em novembro de 2008, um professor canadense chamado Sarwan Singh entrou para o livro Guinness por ter a barba mais longa que qualquer homem vivo. Ela pendia por impressionantes 2,36 m a partir do queixo. Mas o recorde de todos os tempos para a barba mais longa vai para o norueguês que deixou a barba crescer até 5,3 m. Seu nome era Hans Langseth, e ele morreu em 1927. Sua barba foi exibida no Instituto Smithsoniano. Nenhum desses homens teve muito problema com suas barbas. O mesmo não pode ser dito de um austríaco do século 16. A barba de Hans Steininger tinha só 1,4 m, mas foi suficiente para levá-lo à morte. Hans costumava manter sua barba enrolada em uma bolsa de couro, mas esqueceu-se de fazê-lo em um dia de 1567. Um incêndio estourou em sua cidade naquele dia e ele ficou enrolado na barba enquanto tentava escapar. Há relatos conflitantes sobre se Steininger quebrou o pescoço ou se morreu no incêndio, mas as duas mortes são bizarras. 

 8. Morte por ovelha faminta 



 Ovelhas parecem inofensivas, não é? Mas elas podem sentir fome, muita fome Ovelhas são criaturas bastante dóceis. Se você visitar uma fazenda de ovelhas, provavelmente vai encontrar criaturas lanosas em movimento errante ruminando grama. Infelizmente, em 1999, uma mulher na Inglaterra descobriu que as ovelhas podem ter um lado agressivo, assim como muita fome. Betty Stobbs era mulher de um fazendeiro e tinha 67 anos na época do trágico encontro. Ela estava levando um delicioso jantar de feno para o rebanho de ovelhas da família usando um veículo de quatro rodas com um pequeno trailler acoplado. As ovelhas estavam em um campo com vista panorâmica da presa. Quando Stobbs chegou com o jantar, o rebanho agrediu-a e pulou para dentro do veículo, jogando-a da cabine. A triste ironia dessa tragédia é que ela não morreu da queda em si. Ela poderia até ter sobrevivido, mas as ovelhas tombaram o veículo, esmagando Stobbs. 

 7. Morte por sutiã 



 Modelos de sutiãs como este costumam ter reforço metálico no bojo. Melhor evitá-lo em dia de tempestade Esta aqui não foi exatamente causada por um sutiã, mas a roupa de baixo feminina certamente não ajudou a situação para duas senhoras em Londres, em 1999. Essas duas amigas estavam andando no Hyde Park um dia quando caiu uma tempestade daquelas. O par tentou se abrigar sob uma árvore enorme quando um relâmpago massivo atingiu as duas. Aparentemente, os fios de metal do bojo dos sutiãs que as duas usavam atuaram como condutores, embora a polícia acredite que elas teriam morrido mesmo se não estivessem usando aquela lingerie. Infelizmente, as mulheres morreram instantaneamente, e seus corpos ficaram lá por 15 horas antes que alguém se aproximasse deles. A causa oficial da morte, listada pelo investigador Paul Knapman, foi "falta de sorte". 

6. Morte por videogame 



 Sessões muito longas de videogame podem levar à exaustão e, em alguns casos, à morte Um representante da empresa de pesquisa de mercado The NPD Group fez um anúncio assustador no 2009 Dice Summit, encontro da indústria de videogames que acontece em Las Vegas. Executivos da indústria de games sabiam que seus produtos estavam em franco crescimento, mas a revelação de que 6 milhões de novos potenciais consumidores começaram a jogar videogame em 2008 surgiu como uma surpresa bem-vinda. A conferência também revelou que o jogo online, quando jogadores jogam uns contra os outros via Internet, havia crescido 2% em 2008 [fonte: dicesummit.org]. Toda essa atividade no campo dos jogos levou a preocupações com o vício em videogame. Essas preocupações foram validadas em 2005 quando um jovem sul coreano morreu depois de uma longa jornada jogando a versão online de Starcraft. O jogo é bastante popular na Coreia do Sul, e jogadores populares são reverenciados. O homem de 28 anos desse trágico caso tinha jogado o game por cerca de 50 horas seguidas em um cybercafé em Taegu, fazendo apenas paradas curtas para um cochilo e para ir ao banheiro. Ele foi levado às pressas para o hospital depois de sofrer um colapso, mas morreu logo em seguida. A polícia acredita que a causa da morte tenha sido parada cardíaca provocada por exaustão severa. 

 5. Morte por melaço 



 Imagine uma onda gigantesca de melaço engolindo você. Morte doce, mas nada agradável Essa não foi apenas uma, mas 21 mortes - todas provocadas pela mesma causa bizarra. Em um dia quente de janeiro de 1919, em Boston, um enorme tanque contendo cerca de 9,5 milhões de litros de melaço explodiu no bairro North End. O tanque tinha 15,2 m de altura e 27,4 m de diâmetro e estava situado na zona portuária, em uma área habitada por imigrantes italianos. Ninguém sabe ao certo o que causou a explosão que lançou estilhaços a até 61 metros no ar. Algumas das mortes foram atribuídas à força do deslocamento de ar provocado pela explosão em si, e é impossível dizer agora quantos exatamente pereceram em consequência disso. Mas nós sabemos que a explosão gerou uma parede de melaço de 7,6 m de altura que fluiu para o bairro a uma velocidade estimada de 56,3 km/h. A onda pegajosa derrubou pessoas e engoliu-as, levando-as a afogarem-se no líquido marrom grudento. Levou meses para limpar a bagunça. Moradores do azarado bairro afirmam que ainda hoje é possível sentir o cheiro do melaço nos dias quentes de verão. 

 4. Morte pelo sinal de Hollywood 



 Hollywood, onde muitos saltam para a fama - ou para a morte Hollywood deixou mais do que uns poucos sonhos de fama e fortuna destruídos ao longo dos anos. A mais famosa dessas histórias tristes é provavelmente a da jovem atriz Peg Entwistle, de Wales. Enwistle tinha conseguido algum sucesso nos palcos, até ganhando papéis na Broadway, em Nova York, mas assim como muitos outros, ela foi atraída pelas luzes brilhantes de Hollywood, no centro de Los Angeles. Uma vez na Califórnia, ela encontrou um pouco de sucesso quando atuou no filme "Thirteen Women", mas a fama desejada ainda a evitava. Os testes de projeção do filme foram ruins, e muito do trabalho dela foi cortado do produto final. Em 16 de setembro de 1932, ele subiu até o famoso sinal de Hollywood para seu ato final. Na época, o sinal ainda era "Hollywoodland", e era meramente uma anúncio publicitário de um condomínio em construção. Entwistle deixou seus pertences, incluindo uma nota suicida, na base do sinal, escalou-o e saltou do topo da letra "H". Seu corpo ficou lá por dois dias antes de ser localizado por seu tio, que morava nos morros perto do sinal. Sua nota suicida dizia simplesmente: "Estou com medo, sou uma covarde. Desculpe qualquer coisa. Se eu tivesse feito isso muito tempo atrás, teria poupado muito sofrimento. P.E.".Numa dessas viradas irônicas do destino, uma carta chegou a Entwistle no dia seguinte à sua morte oferecendo a ela um papel em um filme sobre uma mulher à beira do suicídio. 

 3. Morte por pilha de lixo 



 Amontoar lixo pode ser um sério problema para certas pessoas - que o digam os irmãos Collyer Dizem que o lixo de uma pessoa é o tesouro de outra, mas isso pode ficar fora de mão se você se tornar um colecionador de objetos inúteis e não jogar nada no lixo. A maioria das pessoas tem um pouquinho dessa tendência dentro de si, mas não a ponto de matá-las. Infelizmente, o mesmo não pode ser dito sobre os irmãos Collyer, de Nova York. Langley e Homer Collyer mudaram-se para o Harlem, bairro de Nova York, em 1909, quando ainda estavam com 20 e poucos anos. Filhos de uma família de classe privilegiada, os irmãos se tornaram gradativamente fechados ao longo dos anos e começaram a acumular itens. Quanto eles acumularam? Estima-se que foram 180 toneladas (ou 163 toneladas cúbicas) de lixo no apartamento em que moravam. Candelabros quebrados, carrinhos de bebê estragados, pianos esmagados, relógios rachados e mobília mofada estavam amontoadas em cada canto de sua casa. Homer ficou cego nos anos 1930 e de cama em 1940 por causa do reumatismo. Seu irmão mais novo cuidava de cada necessidade sua e até guardou centenas de milhares de jornais na esperança de que Homer recobrasse a visão algum dia. Estranhamente, a casa também tinha armadilhas ocultas para evitar invasores. Aconteceu disso ser a ruína de Langley quando ele tropeçou em uma dessas armadilhas e ficou soterrado por uma avalanche de lixo. Incapaz de ajudar, Homer acabou morrendo lentamente de fome enquanto seu irmão jazia sob a pilha de refugos. A polícia procurou em Manhattan por semanas antes de perceber que Langley estava enterrado em sua própria casa. 

 2. Morte por fenômeno inexplicado



 Seriam alienígenas os responsáveis pela morte de 9 trilheiros russos? O que aconteceu exatamente para causar as mortes de nove trilheiros nos Montes Urais, na Rússia, em 2 de fevereiro de 1959, prmanece um dos mais notórios mistérios sem solução do país. Em 28 de janeiro, dez estudantes do Instituto Politécnico Ural saíram para fazer uma trilha de inverno. Um dos membros do grupo ficou doente e foi deixado em um acampamento na montanha para se recuperar. Os outros nove nunca saíram da floresta, e o que os investigadores encontraram foi assustador e confuso. Sua tenda abandonada foi encontrada rasgada de dentro para fora, metade enterrada na neve, com os sapatos e os pertences dos estudantes ainda dentro. Os primeiros dois corpos foram encontrados no limite da floresta, descalços e vestidos com roupa de baixo. Outros três corpos foram encontrados próximo em condições similares. Dois meses depois, os últimos quatro corpos foram descobertos enterrados na neve a cerca de 75 m das primeiras vítimas. Esses quatro estudantes tinha ferimentos internos massivos, costelas quebradas e crânios esmagados. Um deles tinha tido a língua arrancada. Uma coisa que deixou os investigadores perplexos foi o fato de que não havia sinais de luta nem ferimentos externos. As quatro últimas vítimas estavam usando algumas das roupas dos outros, que descobriu-se depois tinham altos níveis de radiação. As teorias foram abandonadas com o tempo - avalanche, interação com alienígenas e testes militares, para nomear algumas. Os arquivos do caso estavam lacrados até 1990, quando ficou-se sabendo que esferas laranjas brilhantes foram vistas no céu naquela noite por outros praticantes de trilha. Isso e a radiação nas roupas levaram a maioria das pessoas a acreditar que aconteciam alguma manobras militares secretas no local - embora o governo russo nunca tenha admitido. 

 1. Morte por descuido 



 O padre Adelir de Carli merece o prêmio de morte mais bizarra de todos os tempos Em 1982, o caminhoneiro americano Larry Walters, de Los Angeles, se aventurou nos céus de Los Angeles sentado em uma cadeira de praia de alumínio presa a 45 balões de gás hélio. Walters, que tencionava voar por algumas horas a apenas 9 m do chão, chegou a 5.000 m de altitude e ficou "preso" à sua cadeira no ar por 14 horas. Felizmente, os balões foram perdendo altitude e Walters foi resgatado com vida. O padre católico Adelir Antônio de Carli, do Brasil, não teve tanta sorte. Decidido a estabelecer um recorde mundial para voo em balão de gás hélio com o objetivo de promover seu plano de construir uma parada de descanso espiritual para caminhoneiros, o padre pegou uma cadeira plástica leve, amarrou-a a balões de festa e partiu para a sua aventura. Preocupado com segurança, em vez de amarrar na cadeira sanduíches e cerveja como fizera Walters, de Carli levou consigo um telefone por satélite e um receptor GPS. Contudo, cometeu um erro que se descobriria ser fatal: não aprendeu a usar o GPS antes do fatídico voo que saiu de Paranaguá, no Paraná, com destino a Dourados, no Mato Grosso do Sul. O tempo mudou, os ventos mudaram, e o padre pendurado nos balões de festa foi soprado em direção ao alto-mar. Enquanto ainda voava sobre a terra, de Carli poderia ter aberto o paraquedas, mas preferiu não fazê-lo. Perdido no mar, ele resolveu telefonar por ajuda, mas o resgate não sabia onde ele estava. De Carli ficou brigando com o GPS e a bateria do telefone acabou, sem que ele ou o resgate soubesse da sua localização. Pedaços de balões foram encontrados em montanhas e praias de Santa Catarina. Em 3 de julho, um pedaço de seu corpo foi encontrado boiando a 100 km da costa de Maricá, no Rio de Janeiro.
Leia Mais

29/09/2012

Vestidos Góticos

























Leia Mais

27/09/2012

Embaixo da Cama


Começou como um medo infantil qualquer. Ele tinha três anos e não dormia sem que antes os pais olhassem debaixo da cama. Posteriormente, passou a não querer mais adormecer com as luzes apagadas, o que deixava o pai, um economista, muito enfurecido ao ver as contas de luz no fim do mês. A mãe intervinha, a favor do filho: "deixe estar, é só uma fase". 

 Mas os anos se passaram. 

 O menino já tinha sete anos, porém sua fobia do escuro e de algo incompreensível que alegava existir debaixo da cama continuava. 

 Os pais levaram o menino a muitos psicólogos - nenhum conseguiu descobrir de que ele sofria - assim, as luzes continuavam acesas à noite, e o fundo da cama continuava a ser inspecionado minuciosamente.

 Mudaram a cama de lugar, mudaram o menino de quarto, mas o medo continuava, cada vez mais forte. 

 Um dia, o pai teve uma idéia - tratamento de choque - ele dissera. 

 Às nove horas, o pai saiu e desligou a energia da casa, simulando um blackout. 

 A mãe fingiu não encontrar velas ou fósforos, e foi com dor no coração que conduziu o choroso filho ao quarto. Colocou a criança na cama - ele estava apavorado e pedia desesperadamente à mãe que ficasse por ali. A mãe endureceu o coração e disse que não, saindo, com pena e fechando a porta. 

 O menino ficou ali, sozinho, com seu maior medo. Ele estava paralisado, gelado de pavor. Não tinha força sequer para se levantar e sair correndo. 

 Ele continuou parado, alerta, olhos arregalados, adrenalina fluindo. 

 O relógio da sala deu dez badaladas. O menino continuava atento - ouvia os pais conversando na sala.O relógio da sala deu onze badaladas. Agora ouvia apenas os sons noturnos: uma sinfonia de grilos e o silêncio mórbido que a noite trazia. O relógio da sala deu doze badaladas. Afinal, o menino foi se acostumando ao silêncio e à escuridão e foi entregando-se ao cansaço. Suas pálpebras iam se fechando quando ele ouviu um barulho - vindo de debaixo da cama. Despertou sobressaltado. Uma mão de unhas longas e pele áspera agarrou-lhe o tornozelo, tentou gritar, sem sucesso. A voz não lhe saía. Não tinha forças para se livrar daquela criatura ressequida e horrenda que tentava arrastá-lo para debaixo da cama. Tentou ainda agarrar-se ao tapete - em vão. Olhou para trás e divisou o rosto grotesco de olhos brilhantes e presas pontiagudas que sorria para ele. Foi arrastado e mergulhou na escuridão, chorando

 * * * * * 

 Ele não entendia o que havia acontecido - acordou no escuro, embaixo da cama. Tentou sair e percebeu que aquele não era o seu quarto - viu que neste as paredes eram cor de rosa e havia ursinhos de pelúcia. 

 Colocou a mão para fora, tateando na escuridão e encontrou um tornozelo fino.Olhou em cima da cama e viu uma menina de cabelos negros, que o fitava com os olhos enormes cheios de terror. 

 Só então reparou nas suas mãos: outrora infantis e claras, elas agora pareciam ressequidas e cobertas de veias salientes, com enormes unhas negras. 

 Tentou dizer à assustada garotinha que precisava de ajuda, mas descobriu que não tinha mais voz. O máximo que conseguia fazer era sorrir, grunhir e assoviar com sua língua bifurcada e seus dentes pontiagudos. Nesse momento, a garotinha começou a gritar... 

 Sem escolha, para fazê-la calar-se, ele a puxou, arrastando-a para a escuridão.

Horrorizado, percebeu que encontrou conforto e prazer em arrastar outra criança para a mesma situação que vivera. 

 Um ricto horrível tomou conta de sua face disforme, e rastejando na escuridão, o antigo menino que tinha medo do desconhecido pensou: "Nada mal para o meu primeiro dia como o monstro debaixo da cama".
Leia Mais

26/09/2012

Musofobia ou Murofobia - Medo de Ratos


Ratos vivem nos esgotos e o medo deles é muito comum principalmente entre as mulheres. Diferente de outros bichos como baratas o medo de Ratos é mais racional, eles mordem e transmitem uma bela lista de doenças como: Leptospirose, Peste bubônica, Tifu murino, Febre da mordida do rato, Traquinose, Raiva, Salmoneloses, Sarnas e Hantavirose(Uma virose mortal). Bom depois dessa lista quem não tinha medo de rato agora ficou né?



 Agora imaginem que a maior praga de ratos que já teve aconteceu em 1993 na Austrália e levou ao maior envenenamento em massa. A praga foi registrada num video caseiro e entrou para o Guinness!


  

Não está assustado o suficiente?

 Na África do Sul Ratos gigantes mataram e COMERAM dois bebês. Uma mulher de 77 anos também foi encontrada morta com o rosto mordido.

 Um dos bebês estava dormindo em uma cama feita no chão de sua casa, quando foi atacada. Os pais sequer ouviram os gritos da menina, que foi encontrada sem os olhos e com partes do rosto arrancadas pelas mordidas.

 Os ratos - de uma espécie rara existente na África e os maiores do mundo - chegam a ter um metro de comprimento, incluindo a cauda, e seus dentes medem 3 cm. São criaturas noturnas e onívoras.


 Fonte: O Dia
Leia Mais

25/09/2012

Islamismo


ORIGEM 

Em árabe, Islam significa "pureza", pela submissão à vontade de Allah, que é a denominação em árabe para o Deus uno de perfeição e beleza infinitas. O Islamismo surgiu por volta de 622 d.C., em Meca ( Arábia Saudita ), com a revelação do livro sagrado dos muçulmanos, o Alcorão ao profeta Mohammad ( 570-632 a.C ). Por intermédio do anjo Gabriel, Mohammad recebeu de Allah ( Deus ) o Alcorão, e o recitou aos seus companheiros, que o escreveram. Até então, as religiões monoteístas mais conhecidas eram o cristianismo e, em menor número, o Judaísmo. 

 Outra semelhança com o mundo cristão, é que os muçulmanos também sofreram uma cisão, como a que ocorreu entre católicos e protestantes. No caso do Islam, a divisão é entre os sunitas ( que representam 90% dos muçulmanos no mundo ) e os xiitas. 

 Assim como no cisma cristão, um dos motivos da luta entre sunitas e xiitas é saber quem deveria liderar o islamismo depois da morte do profeta Mohammad, e também quem teria a "propriedade" da interpretação correta da palavra de Deus. Mas, na verdade, a palavra é uma só. 

 HISTÓRIA 



Mohammad Ibn Abdullah, nasceu na cidade de Meca, na Arábia Saudita, no ano de 570. Ficou órfão ainda criança e foi criado por seu tio em extrema pobreza. Mais tarde casou-se com uma viúva e teve três filhas. Naquela época, Meca era uma cidade onde ocorriam muitas peregrinações para cultuar ídolos em vários santuários. Após retirar-se para uma caverna perto de Meca para orar e meditar, Mohammad foi visitado pelo Anjo Gabriel que lhe apresentou a mensagem do Islam: " Confirme o que os profetas anteriores do judaismo e do cristianismo ensinaram e corrija as adulterações que perverteram esses ensinamentos". 

 Gabriel disse ainda que ele, Mohammad, havia sido escolhido para corrigir esses erros e para completar a revelação divina que havia começado com os velhos credos do judaísmo e do cristianismo. Tendo recebido essas revelações, Mohammad voltou-se para Meca e proclamou a unidade absoluta de Allah, denunciou a idolatria e estimulou os ricos a dar aos pobres. 

 Em 622, é perseguido em Meca e foge para Yathrib, que posteriormente teve o nome mudado para Medina, em árabe "a cidade do profeta" , em sua homenagem. Essa fuga, chamada de hégira é considerada a data de início do calendário Islâmico. Aos poucos, Mohammad foi conquistando inúmeros seguidores e, em 630 retorna para Meca como líder vitorioso deste novo movimento religioso.

 Em dez anos, toda a península árabe foi convertida ao Islamismo. Em uma geração, quase todo o mundo árabe havia se convertido e, em um século, o Islam atingiu a Espanha, o Marrocos, o oeste da Índia e o leste da Tailândia.

 Atualmente, o islamismo está presente em quase todo o globo, porém com mais seguidores na Ásia Oriental e no Oriente Médio. Conta com mais de de 1,2 bilhão de adeptos ( 7 milhões só nos EUA ) e é a religião que mais cresce no mundo: 15% ao ano. Uma em cada cinco pessoas na Terra é muçulmana. 

 SISTEMA DE CRENÇAS 



O Alcorão, seu livro sagrado, que corresponde à Bíblia cristã e a Torá Judaica, é um livro repleto de metáforas, provérbios e sentenças. Como as leis do Alcorão devem ser seguidas à risca, se forem mal interpretadas, poderão resultar em um fanatismo com consequências catastróficas. 

 Foi o que aconteceu durante o controle de Meca. Surgiu com força uma idéia e sensação coletiva de que todos os muçulmanos eram irmãos e que deviam combater todos os homens até que reconheçam que só há um Deus ( Allah ). 

 Assim como há um aviso divino no último livro da Bíblia cristã, para que nenhuma palavra ou letra seja alterada, retirada ou incluída ( Apocalipse de São João, 22, 18-19 ), o mesmo acontece com o Alcorão. Como foi ditado por Deus, nenhum ser vivo pode tocar em seu texto original. A palavra Alcorão, em árabe significa: " leitura por excelência " ou "recitação". 

 A religião de Allah ( como Deus é chamado pelos islâmicos ) não aceita a adoração de imagens e nem a música instrumental, apenas percussão. Tampouco permite sexo antes do casamento. Mas, pelas leis religiosas, o homem pode casar com até quatro mulheres. 

 Todo muçulmano que tiver saúde e dinheiro suficiente deve ir pelo menos uma vez na vida até Meca, na Arábia Saudita, onde está a Mesquita Sagrada. Lá, o fiel deve dar sete voltas em torno da primeira grande edificação sagrada, a Caaba. 

 Há outras atividades e locais que devem ser visitados, como o Monte Arafat e a cidade de Medina para onde Mohammad migrou quando foi perseguido em Meca.  

Essa saída de Mohammad de Meca é chamada de hégira ("migração") e marca o início do calendário muçulmano. Marca o momento em que todo um povo pagão passou a seguir os preceitos do islamismo. O ano muçulmano é medido pelas 12 revoluções completas da Lua em torno da Terra. Numa média, seu ano é 11 dias menor que o nosso ano solar. Em 10 de fevereiro de 2005, o primeiro dia de Moharrem, uma quinta-feira, entramos no ano 1426 de seu calendário. Este ano terminará em 30 de janeiro de 2006, uma segunda-feira, que corresponde ao dia 30 de Dulhiya. 

 PRINCIPAIS FESTAS RELIGIOSAS DO ISLAM 



O dia santificado é a sexta feira. 
O Ano Novo, no Primeiro de Moharrem ( A Hégira, na véspera do dia Primeiro ). Achura ( Ashuraa ):- 10 de Moharrem. 
Morte do Profeta:- 28 de Zafar. 
Nascimento do Profeta ( Mawlid al Nabi- 23 de abril de 571 ):- 12 de Rabi I. Primeiro ano da Hégira, 622 a.D:- 14 de Rabi II. 
Leilat Al Me'raj:- 26 de Reyeb. 
Leilat Nisf Sha'ban:- 15 de Chaban. 
Morte de Fátima, filha do Profeta ( 11 a.H ):- 3 de Ramadán. 
Morte de Cadija, esposa do Profeta ( 58 a.H ):- 17 de Ramadán. 
A revelação do Alcorão:- 24 de Ramadán ( Ramadán é o mês do jejum ).
A pequena Festa ( Eid al-Fitr ):- celebrada nos três primeiros dias do mês Chual. A Grande Festa ( Eid al-Adha ) ou Festa do Sacrifício:- 10 a 13 de Dulhiya. 

 OS CINCO PILARES DO ISLAM 



 O Islamismo tem cinco fundamentos obrigatórios para quem quer segui-lo à risca e que constitue a estrutura da vida do muçulmano: a fé, a oração, o interesse pelo necessitado (zakat), a auto-purificação ( jejum ) e a peregrinação à Meca para quem tiver posses para tal. 

 1. A FÉ
 Testemunhar que só há um Deus. Não há outra divindade além de Deus e Maomé é seu Mensageiro. Esta declaração de fé é chamada Chahada , uma fórmula simples que todo o crente pronuncia. Em árabe, a primeira parte é: la ilaha ílal-lah (não há outra divindade além de Deus). Ilaha (divindade) pode se referir a qualquer coisa que podemos ser tentados a colocar no lugar de Deus: riqueza, poder e similares. Então vem, illal-lah (além de Deus), a Fonte de toda criação. A Segunda parte da Chahada é Mohammad Rasul lul-lah (Maomé é o mensageiro de Deus).

 2. A ORAÇÃO 
Rezar cinco vezes ao dia. Salat é o nome das orações obrigatórias que são praticadas cinco vezes ao dia, e são um elo direto entre o adorador e Deus. Não há autoridade hierárquica no Islam, nem padres, assim, as orações são dirigidas por uma pessoa com instrução, que conhece o Alcorão, escolhido pela comunidade. Essas cinco orações diárias contém versículos do Alcorão que são recitados em árabe, a linguagem da Revelação, ao passo que as súplicas pessoais podem ser feitas no idioma de cada um. As orações são praticadas na alvorada, ao meio dia, no meio da tarde, ao crepúsculo e à noite e assim determinam o ritmo do dia todo. Apesar de ser preferível praticar a oração em conjunto, em uma mesquita, o muçulmano pode orar em qualquer lugar, tal como campo, escritório, fábrica e universidade. 

 3. ZAKAT 
Dar 2,5% de seu lucro líquido para as pessoas mais carentes. A pessoa piedosa deve também dar tanto quanto possa como caridade (sadaca), e fazê-lo preferivelmente em segredo. Apesar que esta palavra possa ser traduzida como "caridade voluntária", ela tem um significado mais amplo. O profeta disse: "Mesmo o encontrar o seu irmão com o rosto risonho é caridade" 

 4. O JEJUM 
Jejuar no mês de Ramadã. Todo ano, durante o mês de Ramadan, todos os muçulmanos jejuam desde a alvorada até o por do sol, abstendo-se da comida, da bebida e das relações sexuais. Se houver incapacidade física para fazê-lo, devem alimentar uma pessoa necessitada para cada dia não jejuado. Apesar do jejum ser muito benéfico para a saúde, é considerado um método de purificação pessoal. Ao privar-se dos confortos mundanos, mesmo por um período curto, o jejuador adquire verdadeira simpatia por aqueles que sofrem fome, ao mesmo tempo desenvolve a sua vida espiritual. 

 5. O HAJJ 
Peregrinação à Meca. 
A peregrinação anual a Meca ( hajj ) é uma obrigação somente para aqueles que são física e financeiramente capazes de empreendê-la. Os peregrinos vestem roupas especiais: vestimentas simples que eliminam as distinções de classes e cultura, assim todos ficam iguais perante Deus. 

 TEOLOGIA 

Assim como no Cristianismo e no Judaísmo, o Islam também prega que há apenas um Deus ( Allah ) , que existe céu ( com anjos ) e inferno ( com demônios ). Para os muçulmanos, Jesus Cristo não é o "Filho de Deus" muito menos a própria divindade, mas um profeta enviado por Deus, cuja missão não teria chegado ao final, isso porque sua palavra não teria sido compreendida e nem aceita pelos judeus. 

 Por isso, segunda a tradição, houve a necessidade de que um outro profeta, que teria contato direto com Allah ( Deus ), viesse para completar a mensagem de Jesus. Esse homem que traria a lei divina foi Mohammad, cujo nome foi traduzido para o português como Maomé. 

 Em nome de Allah, o Clemente , o Misericordioso. Louvado seja Allah, Senhor do Universo, e que Sua graça e paz estejam com o profeta do Islam, Mohammad Ibn Abdullah, com seus familiares, seus companheiros e seus seguidores até o Dia do Juizo Final, amem. 

 Ismah lana nashufak ! - ( Trad: Permita que nós o vejamos novamente ! )

Leia Mais

24/09/2012

Possessão em loja de Conveniência


O número de possessões tem aumentado bastante, principalmente nas igrejas. Existem muitos videos por ai, mas nada que impressione ou consiga provar alguma coisa... até agora.

 Esse video, diferente dos outros, foi registrado por uma camera de segurança em uma loja de conveniência. E se durante o video ainda fica uma duvida se é uma possessão ou não, repare o que aparece no reflexo dele na porta da geladeira no final do video...






Tirem suas próprias conclusões!!
Leia Mais

22/09/2012

A Arte de Estudar Profecias

Jesus no monte das oliveiras 

Profecias, predições, vaticínios. Desde a passagem de 1999 pra 2000 e atualmente com a proximidade do final de 2012, esse é um assunto que cada vez mais desperta o interesse das pessoas. Mas afinal, como estudar profecias? 

 Sabemos que existem inúmeras profecias, desde as mais antigas até as mais recentes falando em “fim de mundo”, ascensões miraculosas com cristãos sendo arrebatados em corpo físico ao céu, o retorno de Jesus (Parusia), fim da Igreja, guerra no oriente médio, queda de asteróide, erupções solares, enfim uma infinidade de profecias e interpretações sobre esses assuntos. Então a pergunta persiste: como estudar profecias?

Antes de responder a essa pergunta, precisamos entender como os eventos futuros ocorrem, pois afinal uma profecia nada mais é do que uma visão sobre o futuro. Pra muitas pessoas o futuro é algo determinado, fatalista, imutável, já pra outras pessoas o futuro depende do conjunto de ações da coletividade, o livre arbítrio de cada elemento da humanidade. 

 Na verdade, ambas as opiniões estão corretas. Alguns eventos são realmente imutáveis, determinados com antecedência de milhares de anos, pois a Terra e toda a Criação Divina estão inseridas em um contexto cíclico, onde algumas mudanças cíclicas são pré determinadas com ampla antecedência. No caso da Terra, planeta de expiação e provas há vários milênios, a mudança da Era ou ciclo de expiação para uma nova Era ou novo ciclo de Regeneração (ou Luz como alguns denominam) já foi predeterminada a milhares de anos, independente da vontade ou ação dos encarnados na Terra. 

 Já outros eventos realmente dependem do arbítrio dos encarnados, que podem evitar postergar ou suavizar determinados eventos segundo uma mudança de atitudes. Os eventos que dependem do arbítrio da humanidade e os eventos imutáveis, definidos e executados pelo Cristo Planetário ao longo do ciclo planetário interagem entre si, temos dois clássicos exemplos: a vinda de Moisés e a vinda de Jesus. O ensinamento do monoteísmo através de um avatar era algo que independia da vontade humana, inclusive na questão do tempo, pois mesmo boa parte da humanidade não estando pronta pra aprender a existência de um único Deus, mesmo assim o Cristo planetário enviou um missionário para ensinar o monoteísmo em meio a um povo essencialmente politeísta, já que os hebreus eram na época em sua maioria, adeptos da cultura egípcia, claramente politeísta (após recusar os ensinamentos monoteístas de Akhenaton). Se os hebreus tivessem compreendido a mensagem mosaica mais rapidamente não precisariam ter ficado tantos anos vagando pelo deserto, até porque a distância do Egito a Canaã poderia ter sido percorrida facilmente em 6 meses, um claro exemplo que as escolhas coletivas poderiam ter otimizado o tempo de Moisés na Terra. 

Da mesma forma a vinda de Jesus: já era esperado que a maioria do povo não compreendesse a mensagem de amor do Rabi Galileu, mas era chegada a hora, o ciclo estava determinado, a humanidade estando preparada ou não e assim foi: Jesus veio, trouxe a mensagem de amor, o exemplo e foi crucificado, mas deixou plantada a semente, que foi cultivada a duras penas nos séculos seguintes. A escolha da maioria dos fariseus e saduceus foi de não ter aceitado Jesus como o Messias, enquanto ebionitas e essênios aceitaram, questão de escolha mas que não alterou a missão ou evento já traçado.

Tanto a vinda de Moisés como a vinda de Jesus já eram previstas séculos antes, a vinda de ambos já estava demarcada antes mesmo do afundamento da Atlântida, inclusive com dia e hora exatos, tanto que ao nascer Jesus já era esperado por três reis “magos”. 

Dessa forma, o estudo profético analisa e tenta compreender eventos futuros imutáveis, eventos que já estão determinados a milhares de anos pelo Cristo Planetário e seus prepostos arcangélicos e angélicos. Deus, em sua infinita sabedoria, Aquele que sonda os rins e o coração das pessoas como nos ensina a Bíblia, já sabe de antemão aquilo que iremos fazer, antes de transformamos um pensamento em ação, Deus em sua onisciência “lê”, sonda esse impulso, antes mesmo de fazermos a ação, Ele não age por nós, o livre agir é nosso, mas Ele já sabe com antecedência, de milhares de anos, tudo aquilo que iremos praticar, até por estar acima dos limites de tempo e espaço. 

Dessa forma o que estamos realizando hoje, o que eu estou realizando agora ao escrever esse texto, já foi percebido e captado por Deus a milhares de anos, até porque “um segundo” na Consciência Divina leva bilhões de anos pra acontecer nessa limitada dimensão que vivemos.

Dessa forma, não existe fatalismo quando a Bíblia ou Ramatís profetizam que 2 terços dos espíritos da Terra serão exilados ou quando Jesus diz que metade dos encarnados desencarnarão até o final dos eventos do ápice da Transição Planetária. Esses profetas (Zacarias e Jesus) já sabiam, através da conexão com o Cristo planetário, a milhares de anos, que essas pessoas, em milhares de anos não iriam mudar sua postura de forma a se salvar do exílio, mesmo mediante inúmeros avisos, inúmeras oportunidades encarnatórias, e que seriam exiladas. 

É preciso que tenhamos esse olhar mais amplo da situação, pois pra nós é difícil imaginar ou supor que seja possível alguém ver com tamanha amplitude, pois somos como simples formigas diante de um ser humano calçando um sapato: a formiga mal percebe que ali está um sapato, seu campo de visão não consegue alcançar tamanha abrangência, e muito menos saber que ali tem um ser humano usando aquele sapato. O Cristo planetário é como o homem usando o sapato, vendo tudo com enorme amplitude, fora do tempo e do espaço, já sabe de antemão as ações que a fomiga irá realizar. Os profetas, os verdadeiros profetas, são como formigas que conseguem ouvir e decodificar a voz do homem que calça o sapato, o Cristo planetário nessa metáfora, e emitir alertas à humanidade, sobretudo com relação aos eventos imutáveis, já determinados para o ciclo planetário. 

É preciso compreender isso para que compreendamos que não é a nossa vontade pessoal que vai atrasar ou acelerar a vinda da Era de Regeneração, ou que irá impedir os eventos da transição planetária. Esses são eventos já determinados, com dia e hora, no ciclo da casa planetária terrestre e vai ocorrer independente da nossa vontade, até porque se fosse pela vontade da maioria da humanidade, a Terra já teria explodido em guerras há muito tempo e só não explodiu pela misericordiosa interferência divina, que estipulou um prazo, um ciclo, com começo e fim e não vai ser o homem, com a sua sanha desmedida que vai mudar os prazos estabelecidos pelo Grande Plano Divino. 

Então, finalmente, podemos responder: como estudar profecias? 

Estudar profecias é estudar os eventos imutáveis, aqueles que já estão determinados no ciclo planetário terrestre. E que fontes consultar pra realizar esse estudo? Como interpretar as diversas profecias? 

O método que julgo mais lógico, correto e amplo é considerar as profecias mais confiáveis do mundo, ou seja, as profecias dos profetas que tiveram pelo menos alguns acertos com outras profecias que fizeram e assim já tenham comprovado o seu valor em fazer profecias. 

Nesse time podemos colocar os seguintes profetas e profecias: Apocalipse, Jesus (sermão profético), Daniel, Nostradamus, Malaquias, João 23, Benjamin Solari, Monge Pádua e Dom Bosco. A partir da união dessas profecias podemos realizar interpretações que busquem um foco comum (leia-se data, um ano, ou uma data mais específica) entre essas profecias, para assim ter uma interpretação mais fiel dos eventos futuros, pois estará embasada não apenas em uma interpretação pessoal de uma ou duas profecias, mas sim numa interpretação de várias profecias que chegou a um foco, uma data comum, algo que sofre menos a interferência pessoal do intérprete, pois não há como “torcer” certas datas num contexto de interpretação de várias profecias. 

Somado a isso é preciso saber COMO interpretar o Apocalipse, o sermão profético e Daniel, passagens bíblicas profundamente unidas, tanto que Jesus cita a profecia dos 70 períodos no sermão profético, profecia feita por Daniel quase 1500 anos antes do Messias e que fala da restauração de JERUSALÉM (ou seja, quando toda a antiga cidade de Jerusalém fosse restaurada ao domínio judeu, fato que só ocorreu em 1967, pois quando o estado de Israel foi criado em 1948 a cidade velha de Jerusalém também conhecida como Jerusalém oriental não pertencia a Israel, só passou a ser controlada por Israel em 1967, sendo assim Jerusalém só foi restaurada ao domínio judeu em 1967 e a partir desse ano se iniciam os 70 períodos, que devem ser convertidos em anos como diz no mesmo capitulo 9 dessa profecia, versículo 2, o termo “períodos” difere do termo “semanas”, do que fica claro que a profecia começa em 1967 e dura até seu fim em 2036). Simples, fácil, mas muitos ainda insistem em interpretar essa profecia como sendo de 490 anos.... 


Arcanjo Miguel contra a Besta

Além do mais precisamos ao menos conhecer as “chaves” do Apocalipse para interpretá-lo e ao interpretar um versículo levar em conta, pelo menos, o contexto de todo o capítulo. Muitos tentam interpretar versículos que falam de “dragão”, “besta” sem observar o contexto que esses versículos estão inseridos. Dessa forma, para alguém querer interpretar o Apocalipse, precisa antes de mais nada interpretar TODO o Apocalipse e em seguida comparar essa interpretação pessoal com profecias de outros profetas confiáveis, para que assim a interpretação possa ser mais correta, mais ampla e não apenas uma interpretação pessoal. 

E como se não bastasse o hercúleo desafio (eu levei 6 anos pra interpretar o Apocalipse todo observando esse critério), é preciso atinar para o fato de que o Apocalipse não foi escrito em ordem cronológica, ou seja, muitas vezes os eventos narrados nos últimos capítulos são anteriores a eventos narrados nos primeiros capítulos do Apocalipse. Como veremos a seguir, o inicio do Apocalipse capítulo 20 fala do ano 33 a 1054 enquanto que o capítulo 9 fala de eventos futuros, nas portas do terceiro milênio. 

Um erro muito comum é na clássica passagem de Apocalipse capítulo 20, quando é dito que o anjo que tem a chave do abismo (Jesus) desce ao abismo e acorrenta a primitiva serpente por mil anos (Apocalipse 20:1-2). 

Recentemente li em um livro uma interpretação que dizia que essa “serpente primitiva” seria um espírito e que ele ficaria aprisionado na Terra pelos próximos mil anos até que fosse exilado (lá pelo ano 3 mil do nosso calendário ). Infelizmente nada nesse capítulo e no seu contexto aponta pra isso, até porque, como já vimos anteriormente Jesus e Daniel são claros em demarcar o auge dos eventos pra 2036 na profecia dos 70 períodos, para que então possa surgir uma nova Terra, a Era de Regeneração, a Era de Luz. Vamos então interpretar essa questão clássica do capítulo 20 do Apocalipse, sob a luz da hermenêutica. 

Jesus nos ensina em Mateus 10:16 que devemos ser simples como as pombas e atentos, (observadores) como as serpentes. Jesus confirma o significado que a serpente possui desde a antiguidade, atribuído em símbolos como o caduceu de Hermes e o bastão de Asclépio (bastão esse que Moisés inclusive construiu durante o êxodo pra curar os hebreus que eram picados por serpentes, segundo descreve o V.T), é o significado da razão, do intelecto, ou seja, Jesus diz que devemos ser inteligentes e razoáveis, observadores. 

Já serpente primitiva é o intelecto primitivo, a razão obscurecida por uma moral primitiva. Na Bíblia é dito que após desencarnar, Jesus foi pregar aos espíritos em prisão desde os tempos de Noé, do dilúvio, do afundamento da Atlântida (1 Pedro 3:18) e em Apocalipse 20:1-2 é dito que Jesus (o anjo que tem a chave do abismo) desceu ao abismo e aprisionou o dragão, a primitiva serpente por mil anos e que depois desse tempo, ela será solta por um espaço de tempo (Apocalipse 20:7). O cálculo então é simples, lá pelo ano 33 Jesus desceu ao abismo, aprisionou o dragão, a primitiva serpente por mil anos, então lá por 1033 ele seria solto de sua prisão pra enganar as nações da Terra. 

Em 1054 ocorreu a cisão entre a Igreja Oriental e Ocidental e o início da chamada Idade das Trevas, praticamente mil anos após a morte de Jesus a primitiva serpente foi solta (simbolicamente) e se iniciou a Idade das Trevas. 

Mas será que o Apocalipse fala mais dessa estranha figura chamada de “primitiva serpente”? Sim, fala, no capítulo 9: aqui o capítulo começa falando que o poço do abismo foi aberto, ou seja, já se passaram os mil anos de prisão (33-1054), as trevas foram soltas e nesse capítulo 9 é relatado um evento, no curto espaço de tempo que as trevas foram soltas (1054 – até o fim da Tribulação) quando os soldados do rei do abismo foram soltos. O espaço curto de tempo que a primitiva serpente é solta é exatamente o período que se iniciou a idade das Trevas até o final da Tribulação, se considerarmos que a Atlântida afundou a 12 mil anos (o tempo do dilúvio, figurativamente de Noé) então menos de mil anos (1054 – 2036) é realmente um curto espaço de tempo perante 12 mil anos. 

Nesse capítulo 9, versículo 11, é dito que o rei do abismo tem por nome Abadom e Apoliom, seu nome hebraico e grego respectivamente que significam ambos, destruidor. 

Um ser mitológico também tem esse nome, trata-se de Apep, o deus egípcio da escuridão e da destruição, representado por uma mitológica serpente primitiva que vive no abismo. Ou seja, o que é dito no Apocalipse 20, de forma alegórica, é que os espíritos em prisão do tempo de Noé são seguidores dessa mitológica serpente primitiva e que a ação desse ser foi contida por mil anos (33-1054) para que então esse ser fosse libertado e pudesse ter mais liberdade para exercer seu primitivismo, ou seja, exercer a ação já prevista nos tempos do fim, antes do ápice da Tribulação, antes do fim do exílio planetário. Esse ser, segundo nos esclarece Robson Pinheiro na trilogia Reino das Sombras é o líder dos dragões, espíritos exilados a centenas de milênios para a Terra e que são os ditadores do abismo, tendo um deles como o líder, o número 1. Esse número 1, que na verdade não é “ele” mas “ela” é exatamente o que os antigos representavam como primitiva serpente, abadom, apolion.  

É interessante notar que nesses mil anos de prisão, ou seja, quando a ação desse ser foi de certa forma restrita, coibida, o cristianismo primitivo cresceu enormemente, com tantos fiéis surgindo que Roma foi obrigada a aceitar o cristianismo, mesmo que o modificando em alguns aspectos. 

Apocalipse 20:8 fala do confronto entre Gog e Magog, o mesmo confronto descrito em Daniel, cronologicamente próximo ao auge dos eventos da transição planetária, eventos esses que irão ocorrer, segundo Apocalipse capitulo 20, após a soltura da primitiva serpente, ou seja, quando a ação da primitiva serpente e seus asseclas ficar mais evidente nos tempos do fim da era de provas e expiações. Dessa forma, por uma questão lógica, fica evidente que os mil anos de prisão já passaram, pois somente após esses mil anos teremos o confronto entre Gog e Magog (descrito no Apocalipse como o Armagedon) e demarcado em Daniel pra ocorrer até o final dos 70 períodos, ou seja, até 2036. Com isso, a intepretação de que esse ser, o Dragão, ficará preso pelos próximos mil anos (2012 - 3012) é equivocada, pois contraria uma simples e clara lógica hermenêutica. 

Mas tem mais: Daniel fala que no auge virá o “assolador nas asas da abominação”, assolador que é sinônimo de devastador, destruidor. Ou seja, um destruidor virá voando (nas asas) no auge da Tribulação (abominação). Já sabemos essa data segundo o que nos informa Jesus no sermão profético, Daniel e a recente história de Israel: esse ápice será em 2036. 

Apocalipse capítulo 12 fala em uma primitiva serpente vermelha arrastando as estrelas do céu. O Apocalipse também fala que o último dos 3 “ais” será um terremoto nunca antes visto. Um terremoto tão grande que verticalize o eixo da Terra daria a exata sensação de estrelas caindo devido à súbita mudança do eixo. 

Mas se já sabemos que essa primitiva serpente representa a lenda de Apep, que em grego significa Apophis, o que seria o destruidor (Apophis) vindo voando do céu, com uma cauda vermelha, "arrastando estrelas" e causando um terremoto tão grande, a ponto de verticalizar o eixo e fazer parecer que estrelas estão caindo? Bingo pra quem respondeu asteróide.

Dessa forma temos uma comprovação, em Daniel, sermão profético e Apocalipse que o auge da Tribulação será em 2036 com a vinda dos céus da primitiva serpente. Esse conhecimento mundial é tão amplo e antigo, que até os maias tem em suas lendas descritas no Popol Vuhl e no Codex de Dresden a vinda de uma “serpente emplumada” ou seja, a vinda de uma serpente no meio das nuvens (plumas), Nostradamus também aborda o tema em diversas quadras, Benjamin Solari que acertou diversos eventos (inclusive a queda das torres gêmeas, isso a mais de 40 anos) chegou a fazer um relógio profético que marca a exata data de abril de 2036 como auge dos eventos. 

 É ainda importante ressaltar que o termo “Besta” ou “Fera” que aparece no Apocalipse deriva da expressão grega Therion, que significa “animal feroz”, ou seja, todas as representações da Besta são representações de primitivismo, de antifraternidade, que foram representadas em épocas diferentes por impérios ou ideologias, inclusive os próprios cavaleiros do Apocalipse que transformaram os “cavalos” que montam alegoricamente em animais ferozes, therion, Bestas. No mais, um asteróide caindo do céu, deixa um rastro, uma cauda vermelha que realmente parece com uma serpente, a serpente primitiva, Apep, Apophis. 

Dito isso, e se nos guiarmos pelos 3 principais eventos descritos na Bíblia ou 3 “ais”, que são uma grande evento vulcânico (o poço do abismo é aberto) que abrirá portas para o inicio da guerra entre árabes e Europa com a queda do Vaticano (primeiro ai), em seguida o Armagedon, a guerra entre árabes e Israel (segundo ai) e por fim o grande terremoto, a vinda do destruidor nas asas da abominação, o Apophis (terceiro ai), temos então um panorama dos principais eventos da Transição Planetária, que terá seu auge ou Grande Tribulação como ápice dos eventos em 2036. 

Esses 3 grandes eventos são abordados pelos profetas mais confiáveis do mundo. Malaquias por exemplo acertou mais de 100 papas, sendo que em sua lista falta apenas mais um depois de Bento 16. O Apocalipse fala de sete reis em Apocalipse 17:10 se referindo claramente a Igreja, que desde a criação do Vaticano conta com 6 reis até hoje, faltando apenas mais um rei (papa), exatamente como predito por Malaquias, profecia aliás confirmada por Monge Pádua (que também predisse os últimos papas). Todos são unânimes, junto com Dom Bosco, em predizer o fim da Igreja com o próximo e último papa que virá após Bento 16, inclusive em suas centúrias Nostradamus fala claramente do penúltimo e do último papa. 

É dessa forma, comparando as profecias e buscando um foco comum entre essas profecias confiáveis, é que podemos fazer uma interpretação mais lógica, racional e menos presa a paradigmas pessoais ou crenças que porventura tenhamos trazido desde tenra idade, pois muitas vezes é necessário romper com uma interpretação católica ou uma protestante das profecias, pra se chegar a esse foco comum. 

Com todas essas análises fica claro que o auge dos grandes eventos já está demarcado, inclusive com dia e hora. No sermão profético Jesus foi claro ao dizer, naquela época antes de ser crucificado, que naquele momento, naquele presente, não era possível saber o dia e a hora do auge desses eventos, mas em momento algum ele falou que no futuro alguém não pudesse saber o dia e a hora, justamente porque o próprio Jesus já sabia, que depois de crucificado ele teria acesso a essa data exata e teria como missão revelá-la a seu mais dileto discípulo, João Evangelista em Patmos e foi exatamente isso que fez durante a Revelação (Apocalipse), revelou o dia e hora exatos do auge da Tribulação, demarcando o período exato para que os observadores mais atentos das Escrituras não fossem pegos de surpresa. 

O ciclo da Terra de expiação e provas em breve chegará ao fim, as profecias mais confiáveis do mundo assim confirmam. Enquanto esse ciclo não chega ao fim, vivemos o chamado período de Transição Planetária (observem,é um período e não uma Era, pois trata-se de um tempo muito curto) , quando a Terra é preparada, ainda no ciclo/Era de expiação e provas, para vivenciar as grandes mudanças da transição que precisa vivenciar para que então entre na Era ou ciclo de Regeneração. 



O ciclo de Regeneração ou simplesmente Era de Luz só começa após o fim completo do ciclo ou Era de expiação e provas, enquanto existir miseráveis no mundo, espíritos antifraternos ou sem interesse de buscar uma verdadeira reforma moral de valores, enquanto isso existir não teremos Era de Luz ou Regeneração. Inclusive, Chico Xavier e Divaldo Franco são claros em dizer que somente na década de 50 do terceiro milênio estaremos em um mundo que poderá ser considerado Regenerado, de Luz. 

Nesse período de 2012 a 2036 estaremos ainda na Era ou ciclo de expiação e provas, vivendo um período chamado de Transição planetária, até que ocorra a Grande tribulação em 2036, que representa o auge do exílio planetário e assim a Terra possa definitivamente abandonar a Era de expiação e provas. 

Era de Luz ou Regeneração somente existe em mundos onde não existe mais a antifraternidade, a miséria, a fome. Falar em Era de Luz com 1 bilhão de miseráveis, com bilhões de espíritos por serem ainda exilados é uma demonstração clara de desconhecimento do estudo das profecias.

Além do mais o argumento usado por algumas pessoas de que a vinda de mais luz pra Terra, para que se consiga superar esse período de lutas decisivas antes da Grande Tribulação, faria a Terra entrar numa Era de Luz é um argumento errôneo, pois não é a luz vinda de fora da Terra que colocará fim a escuridão moral e mental que impera no planeta, mas sim a separação dos lobos e cordeiros, dos antifraternos dos fraternos, pois enquanto existirem pessoas antifraternas na Terra, sem o desejo sincero de buscar uma reforma moral, não existirá Era de Luz ou de Regeneração, pois a escuridão moral e mental ainda continuará existindo. 

Era de Luz ou Regeneração é quando a humanidade , composta por espíritos regenerados, dispostos mesmo com seus erros e limitações a buscar sinceramente a reforma moral , permitirem que a luz crística brilhe em todo planeta e não haja mais escuridão moral e mental, justamente por isso enquanto não ocorrer o exílio planetário, não teremos adentrado em Era de Luz ou Regeneração. Somente quando a luz da fraternidade iluminar TODOS os seres, partindo de dentro de cada um dos habitantes da Terra, teremos Era de Luz ou Regeneração no planeta Terra. 

É preciso que as pessoas tenham esse entendimento bem claro dentro de si, pois os próximos anos serão de lutas, sobretudo internas, morais, do ser consigo mesmo, onde a coragem e a moral de cada um será testada.

Quem aguarda o início de um novo mundo para o final de 2012 ou acha que ainda terá mais mil anos na Terra antes do exílio, está incorrendo numa auto-ilusão, renegando uma infinidade de profecias de diversas fontes que já mostraram ser verdadeiras e que demonstram claramente um período de lutas intensas nos próximos 24 anos e muito trabalho na reconstrução do planeta para aqueles que não forem exilados após o ápice da Tribulação. 

 Estaremos vivendo ainda nos próximos 24 anos o período de expiações e provações, sobretudo internas, morais, que nos dirão se permaneceremos ou não na Terra e será NESSA encarnação, não tem mais uma encarnação ou mais mil anos, é importante que as pessoas não se iludam, não se deixem alienar por discursos floreados de sofismas, que renegam a verdade, pois é preferível encarar a dura verdade dos fatos do que se iludir ou alienar com ilusões. 

Somos os trabalhadores da última hora, ou mudamos nessa encarnação e permanecemos na Terra ou seremos exilados, para então mudar em outro mundo mais primitivo. É nas dificuldades que o homem mostra quem realmente é, na luta, no confronto, se é honesto ou desonesto, se tem honra ou não tem, se consegue enxergar suas limitações e lutar com seriedade pra vencê-las ou se prefere a soberba de já se achar salvo e que não precisa mudar muito moralmente dentro de si. Quem não aprender a dobrar os joelhos pra socorrer o irmão que precisa de ajuda pra se reerguer, irá se dobrar perante os cataclismos da natureza, pedindo ajuda. 

É por isso que a Bíblia diz que todo o joelho se dobrará, comparando até mesmo com a tempestade, enquanto o trigo se dobra e resiste as intempéries, o joio pela sua dureza se quebra. O trigo é flexível, indulgente, perdoa 70 vezes 7 vezes, o joio é orgulhoso, não aceita a autoridade divina, se julga superior e salvo mesmo mediante as maiores atrocidades morais que cometa, eis a separação do joio do trigo, daqueles que não dobram o joelho pra ajudar o próximo e os que dobram e se submetem mansamente a vontade Divina de servir e ajudar o próximo que necessita. 

O ciclo planetário foi visto e vaticinado por vários profetas confiáveis, sua data já está demarcada, cada um é livre pra se preparar e estar bem ciente do que vem por aí nos próximos anos. Aparecerão muitos falsos profetas relegando as profecias e profetas mais confiáveis do mundo, muitos se autoproclamarão apóstolos reencarnados, tentarão iludir e alienar muitos com discursos falaciosos, prometendo uma Era de Luz pros próximos meses como se tivessem poder para mudar o próprio curso do ciclo planetário planejado a milhares de anos e já previsto por vários profetas que demonstraram seu valor. 

                                                                   

Não se iludam leitores, surgirão religiosos e médiuns dizendo que são a encarnação de Paulo, Pedro ou algum outro dos apóstolos, ansiosos por estátuas em sua homenagem, desejosos por erguer novas Igrejas centralizadas em sua figura pessoal, como se fossem salvadores que em verdade não tem capacidade nem de salvar a si mesmos, futuros exilados que clamarão de joelhos ante ao inevitável degredo. 

Que cada um, de posse dessas informações, possa realizar o próprio estudo e análise das profecias, com critério, paciência, buscando a realidade dos fatos, pois é preferível mil vezes estar ciente e preparado ante os eventos difíceis pro futuro do que alienado, iludido e crendo em visões deturpadas dos eventos futuros. 

O fim da escuridão e o começo da era de luz, da Nova Jerusalém, da Era de regeneração, virá, em breve, após o auge da Tribulação e do exílio planetário, mas não ao final de 2012 e nem daqui a mil anos, pelo menos segundo as profecias dos profetas mais confiáveis do mundo. 

                                       

Fonte: http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com
Leia Mais

21/09/2012

Meditação do Coração


Esta magia serve para você encontrar um grande amor. Desenhe no chão, com uma mistura de terra, pétalas de rosa e flores de camomila, um grande coração. Entre no centro da figura e medite sobre as qualidades do seu futuro (a) parceiro (a) (não se fixe em ninguém em especial!). Fantasie, deixe a imaginação viajar. Então repita mentalmente, quantas vezes quiser: COM A TERRA EU TE CRIO, COM A ROSA TE CONSERVO E COM O BRILHO DOURADO DA CAMOMILA TE ESPERO.
Leia Mais

20/09/2012

Santa Inquisição

"Não permitirás que viva uma feiticeira". 
(Êxodo – Cap. XXII – Versículo XVIII) 

No século IV, quando o Cristianismo se propagava, a Igreja Católica havia tomado santuários e templos sagrados de povos pagãos, para implantar sua religiosidade e erigir suas igrejas. Nos primórdios do Catolicismo, acreditavam que os pagãos continuariam a freqüentar estes lugares sagrados para reverenciarem seus Deuses. Mas com o passar do tempo, assimilariam o cristia- nismo substituindo o paganismo, através da anulação. 

Mesmo assim, por toda a parte, havia uma constante veneração às divindades pagãs. Ao longo dos séculos, a estratégia da Igreja Católica não funcionou, e através da Inquisição, de uma forma ensandecida e sádica, as autoridades eclesiásticas tentaram apagar de uma vez por todas a figura da Grande Deusa Mãe, como principal divindade cultuada sobre todos os extremos da Terra. O Catolicismo medieval transfor- mou o culto à Grande Deusa Mãe, num culto satânico, promo- vendo uma campanha de que a adoração dos deuses pagãos era equivalente à servidão a satã. 

Inquisição é o ato de inquirir, isto é, indagar, investigar, interrogar judicialmente. No caso da Santa Inquisição, significa "questionar judicialmente aqueles que, de uma forma ou de outra, se opõem aos preceitos da Igreja Católica". Dessa forma, a Santa Inquisição, também conhecida como Santo Ofício, foi um tribunal eclesiástico criado com a finalidade "oficial" de investigar e punir os crimes contra a fé católica. Na prática, os pagãos representavam uma constante ameaça à autoridade clerical e a Inquisição era um recurso para impor à força a supremacia católica, exterminando todos que não aceitavam o cristianismo nos padrões impostos pela Igreja. Posteriormente, a Santa Inquisição passou a ser utilizada também como um meio de coação, de forma a manipular as autoridades como meio de obter vantagens políticas. 

 A Caça às Bruxas



 A Santa Inquisição teve seu início no ano de 1184, em Verona, com o Papa Lúcio III. Em 1198, o Papa Inocêncio III já havia liderado uma cruzada contra os albigenses (hereges do sul da França), promovendo execuções em massa. Em 1229, sob a liderança do Papa Gregório IX, no Concílio de Tolouse, foi oficialmente criada a Inquisição ou Tribunal do Santo Ofício. Em 1252, o Papa Inocêncio IV publicou o documento intitulado Ad Exstirpanda, que foi fundamental na execução do plano de exterminar os hereges. O Ad Exstirpanda foi renovado e reforçado por vários papas nos anos seguintes. Em 1320, a Igreja (a pedido do Papa João XXII) declarou oficialmente que a Bruxaria, e a Antiga Religião dos pagãos constituíam um movimento e uma "ameaça hostil" ao cristianismo. 

Os inquisidores, cidadãos encarregados de investigar e denunciar os hereges, eram doutores em Teologia, Direito Canônico e Civil. Inquisidores e informantes eram muito bem pagos. Todos os que testemunhassem contra uma pessoa supostamente herege, recebiam uma parte de suas propriedades e riquezas, caso a vítima fosse condenada. 

Os inquisidores deveriam ter no mínimo 40 anos de idade. Sua autoridade era outorgada pelo Papa através de uma bula, que também podia incumbir o poder de nomear os inquisidores a um Cardeal representante, bem como a padres e frades franciscanos e dominicanos. As autoridades civis, sob a ameaça de excomunhão em caso de recusa, eram ordenadas a queimar os hereges. Camponeses eram incentivados (ludibriados com a promessa de ascenderem ao reino divino ou através de recompensas financeras) a cooperarem com os inquisidores. A caça às Bruxas tornou-se muito lucrativa. 

Geralmente as vítimas não conheciam seus acusadores, que podiam ser homens, mulheres e até crianças. O processo de acusação, julgamento e execução era rápido, sem formalidades, sem direito à defesa. Ao réu, a única alternativa era confessar e retratar-se, renunciar sua fé e aceitar o domínio e a autoridade da Igreja Católica. Os direitos de liberdade e de livre escolha não eram respeitados. Os acusados eram feitos prisioneiros e, sob tortura, obrigados a confessarem sua condição herética. As mulheres, que eram a maioria, comumente eram vítimas de estupro. A execução era realizada, geralmente, em praça pública sob os olhos de todos os moradores. Punir publicamente era uma forma de coagir e intimidar a população. A vítima podia ser enforcada, decapitada, ou, na maioria das vezes, queimada. 

 Malleus Maleficarum 



 Em 1486 foi publicado um livro chamado Malleus Maleficarum (Martelo das Bruxas) escrito por dois monges dominicanos, Heinrich Kramer e James Sprenger. O Malleus Maleficarum é uma espécie de manual que ensina os inquisidores a reconhecerem as bruxas e seus disfarces, além de identificar seus supostos malefícios, investigá-las e condená-las legalmente. Além disso, também continha instruções detalhadas de como torturar os acusados de bruxaria para que confessassem seus supostos crimes, e uma série de formalidades para a execução dos condenados. Ainda, o tratado afirmava que as mulheres deveriam ser as mais visadas, pois são naturalmente propensas à feitiçaria. O livro foi amplamente usado por supostos "caçadores de bruxas" como uma forma de legitimar suas práticas. 

Alguns itens contidos no Malleus Maleficarum que tornavam as pessoas vulneráveis à ação da Santa Inquisição: 

*Difamação notória por várias pessoas que afirmassem ser o acusado um Bruxo. 
*Se um Bruxo desse testemunho de que o acusado também era Bruxo. 
*Se o suspeito fosse filho, irmão, servo, amigo, vizinho ou antigo companheiro de um Bruxo. 
*Se fosse encontrada a suposta marca do Diabo no suspeito. 

 Hecatombe


 

 Gradativamente, contando com o apoio e o interesse das monarquias européias, a carnificina se espalhou por todo o continente. Para que se tenha uma idéia, em Lavaur, em 1211, o governador foi enforcado e a esposa lançada num poço e esmagada com pedras; além de quatrocentas pessoas que foram queimadas vivas. No massacre de Merindol, quinhentas mulheres foram trancadas em um celeiro ao qual atearam fogo. Os julgamentos em Toulouse, na França, em 1335, levaram diversas pessoas à fogueira; setecentos feiticeiros foram queimados em Treves, quinhentos em Bamberg. Com exceção da Inglaterra e dos EUA, os acusados eram queimados em estacas. Na Itália e Espanha, as vítimas eram queimadas vivas. Na França, Escócia e Alemanha, usavam madeiras verdes para prolongar o sofrimento dos condenados. Ainda, a noite de 24 de agosto de 1572, que ficou conhecida como "A noite de São Bartolomeu", é considerada "a mais horrível entre as ações inquisidoras de todos os séculos". Com o consentimento do Papa Gregório XIII, foram eliminados cerca de setenta mil pessoas em apenas alguns dias. 

Além da Europa, a Inquisição também fez vítimas no continente americano. Em Cuba iniciou-se em 1516 sob o comando de dom Juan de Quevedo, bispo de Cuba, que eliminou setenta e cinco hereges. Em 1692, no povoado de Salem, Nova Inglaterra (atual E.U.A.), dezenove pessoas foram enforcadas após uma histeria coletiva de acusações. No Brasil há notícias de que a Inquisição atuou no século XVIII. No período entre 1721 e 1777, cento e trinta e nove pessoas foram queimadas vivas.

 No século XVIII chega ao fim as perseguições aos pagãos, sendo que a lei da Inquisição permaneceu em vigor até meados do século XX, mesmo que teoricamente. Na Escócia, a lei foi abolida em 1736, na França em 1772, e na Espanha em 1834. O pesquisador Justine Glass afirma que cerca de nove milhões de pessoas foram acusadas e mortas, entre os séculos que durou a perseguição.

Leia Mais

© Dállia Negra - 2016 | Template feito por: Adorável Design | Imagens de ícones e imagem do cabeçalho por: Jaque Design