06/05/2013

A Maldição do filme: A Profecia




Saudações Atormentados...Hoje resolvi falar da maldição envolvendo o filme "A Profecia" de 1976, que é o original, um filme cheio de simbolismos católicos e que trazia como carro chefe o número da besta, 666. Embora eu tenha lido recentemente que o 666 não seria o número maldito, e sim o 616, seria o verdadeiro número da besta, isso por culpa de um possível erro de tradução, mas enfim, essa não é a questão.


Sinopse:
Diplomata (Gregory Peck) preocupado em não chocar a esposa, Katherine Thorn (Lee Remick), em virtude da morte do seu filho ao nascer lhe oculta o fato e adota um recém-nascido de origem desconhecida, sem saber que a criança era o Anti Cristo em pessoa.

Antes mesmo que começarem as filmagens de longa, quando o filme ainda era chamado de "The Antichrist to the Birthmark", posteriormente foi rebatizado, em Inglês, como “The OMEN”, o roteiristaBob Munger já tinha suas apreensões "eu avisei o produtor: se você fizer esse filme, terá problemas. Se a grande arma do diabo e ser invisível, ele não vai deixar que você o torne visível para milhares de pessoas", disse Munger anos depois no documentário: A MALDIÇÃO DE A PROFECIA.

Aos poucos o produtor Harvey Bernhard começou a acreditar. No set de filmagem ele só andava com um crucifixo no pescoço. "o capeta estava à solta e não queria que esse filme fosse feito", afirmou, também no mesmo documentário. "estávamos lidando com elementos ocultos, que não conhecemos, e as coisas foram ficando cada vez piores".

E realmente estavam piorando. O avião em que estava David Seltzer, foi atingido por um raio, o que quase causou um desastre na época. O avião que levava Gregory Peck a Londres para o início das filmagens também havia sido atingido por raios. Outro avião, que seria alugado para levar alguns técnicos do filme, para as cenas gravadas em Israel, foi emprestado, de última hora, despencou minutos após a decolagem matando todos a bordo.

O Hotel, onde o diretor do longa, Richard Donner, estava hospedado sofreu um atentado à bomba do IRA. Houve ainda, outro atentado, também do IRA, dessa vez em um restaurante onde a equipe de filmagem iria jantar, sorte que ninguém tinha chegado no local ainda.

Durante a gravação dois participantes da equipe foram mortos, um pelo cachorro que participava do próprio filme e outro foi morto por um tigre.

Mas o evento mais assustador aconteceu com John Richardson, foi a pessoa responsável pelos efeitos especiais do filme, após o lançamento em 76, ele estava viajando em uma estrada holandesa com Liz Moore. Em certo momento ele perdeu o controle e bateu o carro, Liz acabou morrendo decapitada, de maneira semelhante a uma cena do filme, que ele mesmo produziu, na cena o personagem de David Warner, o fotógrafo Jennings, que ajudava o embaixador Robert Thorn, personagem de Gregory Peck a desvendar o mistério envolvendo o pequeno Damien (Harvey Stephens), acaba decapitado por uma lamina de vidro, lançada de um caminhão desgovernado. Atordoado John saiu do carro e deparou-se com a seguinte placa: Cidade de Mommens a 66,6 Km.



Fotos do Filme:




Trailer do Filme de 1976:


Fonte: Minilua.

Um comentário:

  1. Boa noite Faby.
    Este primeiro filme é uma ótima produção com um roteiro perfeito e assustador. As outras continuações, perderam muito em conteúdo e atuações. A refilmagem deste clássico, também não gostei. Teu texto está ótimo.
    Boa semana.

    ResponderExcluir

© Dállia Negra - 2016 | Template feito por: Adorável Design | Imagens de ícones e imagem do cabeçalho por: Jaque Design