Seres Míticos

[Seres Míticos][bleft]

Lendas

[Lendas][bsummary]

Personagens Ocultistas

[Personagens Ocultistas][twocolumns]

Crenças em Fantasmas


Fantasmas geralmente são descritos como: meio transparentes, em forma de neblina, sombras ou emanando uma cor prateada. Algumas vezes manifestam-se visualmente de forma clara ou através de diferentes fenômenos como movimento de objetos, barulhos etc. que pressupostamente não possuem uma explicação natural.

No Ocidente aqueles que acreditam em fantasmas sustentam que eles são almas que não conseguiram encontrar descanso depois da morte, e consequentemente estão aprisionadas na Terra. A inabilidade de encontrar descanso é geralmente explicada como algumas responsabilidades não resolvidas, como a vítima que busca justiça ou vingança após sua morte. Criminosos geralmente são descritos como almas penadas que querem evitar Purgatório ou Inferno.

Acredita-se que fantasmas residem no Limbo, uma região que de acordo com a não ortodoxa doutrina Católica, é localizado entre Céu e Inferno aonde as almas de crianças que não foram baptizadas encontram-se.

Na China, muitas pessoas acreditam na reencarnação. Fantasmas são almas que recusam 'reciclar-se', porque eles têm negócios não terminados, similar a crença ocidental. E dito que Exorcistas podem auxiliar um fantasma a reencarnar-se ou eliminar completamente sua existência. Nas crenças Chinesas, um fantasma além de estar desencarnado pode também tornar-se imortal, um semi-deus, ou pode ir para o inferno e sofrer pela eternidade, ou ainda pode falecer novamente e tornar-se o fantasma de um fantasma.

Tanto o Ocidente como o Oriente compartilham algumas crenças fundamentais sobre fantasmas. Eles podem vagar por lugares aonde geralmente viviam, ou aonde faleceram. Tais locais geralmente são conhecidos como assombrados; e os ciclos que eles movem-se denominados de "assombrações". Não possuem um corpo físico como os seres humanos, mas geralmente vestem-se com as roupas que eram vistos enquanto vivos.


ANÁLISE CÉPTICA


Enquanto alguns aceitam fantasmas como uma realidade, muitos outros são cépticos com relação á existência de fantasmas. Cépticos procuram explicar a aparição de fantasmas como visões relacionadas ao princípio da navalha de Occam, que argumenta que a única adequada explicação para qualquer evento ou fenómeno é a mais provável explicação.

Isto geralmente significa, a sinceridade e motivo da pessoa que narra o fato será questionada. Por exemplo, persistência de fantasmas é tipicamente associada a busca de justiça ou vingança. Atribuindo tais motivos e poderes a pessoas mortas pode ser interpretado como uma táctica de medo direccionada aqueles que podem ter assassinado alguém.

Segunda, a possibilidade de um embuste será considerada, com a narração da pessoa que é a vítima. Parece possível que, algumas vezes, o conto de histórias de fantasmas pode ter sido uma maneira de isolar comunidades e espantar intrusos. Também e acreditado, quando tais tácticas podem ter sido elaborada por membros da comunidade que se fingiam de fantasma.

Terceiro, explicações baseadas na fisiologia humana. A aparição de fantasmas geralmente está associada, com uma sensação de frio e figuras pálidas, ou semi-transparentes. Uma natural reacção ao medo é o arrepio que pode ser confundida naturalmente com o frio. O aspecto visual dos fantasmas pode também ser considerados pela fisiologia humana: a visão periférica é muito sensível na detecção de movimento, mas não retém muita cor e não oferece também formas concretas; portanto, uma cortina movendo-se ou outro movimento fora do ângulo de visão pode criar uma forte ilusão de uma figura misteriosa.

A natural ocorrência do infra-som, que são sons abaixo das frequências auditivas humanas (abaixo 20 hertz), pode provavelmente explicar a noção ou a sensação de uma presença em no ambiente, ou inexplicáveis sentimentos de ansiedade e pavor, como certas frequências infra-sónicas são conhecidas por gerar tais efeitos no corpo. A frequência de 18hz é conhecida por causar vibração no olho humano, o que pode gerar a aparição de formas pálidas na visão periférica.

Factores psicológicos são também citados como explicação para a visão de fantasmas: pessoas susceptíveis podem ser sujeitas a exagerar interpretações de percepções quando visitam um determinado local no qual ocorreram terríveis eventos históricos.

Há uma vertente de pensamento, em que o fantasma não seria necessariamente uma alma ou ser desincorporado, mas sim uma "impressão psíquica no ambiente (vulgarmente chamado Éter)" em que essa impressão seria de momentos antes a morte ou apenas um momento marcante para determinada pessoa que ficaria gravado no local...
Assim sendo, um fantasma, de acordo com essa crença, não teria noção das mudanças ocorridas ao seu redor e também não perceberia a presença de terceiros, impossibilitando assim de se comunicar com eles e de ser contactado. Essa seria uma diferença em relação aos espíritos, que teriam sim, noção do mundo ao seu redor, afectando-o.

Fantasmas geralmente são descritos como: meio transparentes, em forma de neblina, sombras ou emanando uma cor prateada. Algumas vezes manifestam-se visualmente de forma clara ou através de diferentes fenómenos como movimento de objectos, barulhos, etc. que pressupostamente não possuem uma explicação natural.





CONSELHOS ÚTEIS

O artigo aqui publicado é dirigido a pessoas que se sentem amedrontadas por fantasmas e que necessitam de apoio e de aprender a lidar com a situação.
É também um artigo bastante frontal e directo, de fácil leitura e compreensão.

Para uma grande parte das pessoas, por vezes a palavra fantasmas dá um sentido fantasiado do termo em concreto, assim, entenda-se o seguinte, um fantasma é o mesmo que um espírito de alguém que morreu mas que por qualquer motivo continua vagueando na Terra, por vezes amedrontando os vivos, isto é a definição resumida do verdadeiro sentido da palavra fantasma.


A maioria das pessoas que têm contacto com fantasmas não o divulga, pois temem que outras pessoas as considerem insanas. Assim, vivem num mundo de temor constante e isolado.

Lamentavelmente a maior parte acaba por sentir a necessidade de recorrer a meios que não levam a lado nenhum, consultando aqueles a quem vulgarmente chamamos de bruxo ou bruxa, ao fazê-lo apenas estará agravando a sua situação.

Logo, este não é um assunto de bruxas, igrejas ou religião, de facto, o nosso site mantêm uma posição bem definida de ateísmo em relação a este aspecto - não seguimos qualquer tipo de religião ou de actividade oculta. Não temos fórmulas mágicas, feitiços, nem rezas ditas milagrosas, mas sim conselhos para partilhar.

Resumindo, baseamo-nos no que os olhos vêem, no que o corpo sente e nos relatos de pessoas nesta situação.

Para si que de qualquer modo é vítima de assombração, em primeiro lugar tem de compreender que a maioria dos fantasmas não necessitam de ser expulsos, mas necessitam realmente da nossa ajuda.

No caso de existir um fantasma incomodado consigo ou com a sua família, mantenha a calma e tente perceber o que significam as suas comunicações e métodos de se exprimir.

A maior parte das vezes, os fantasmas querem simplesmente que saibamos que eles existem – pretendem assim mostrar que ainda estão vivos antes de passarem para o “outro lado” (onde quer que isso fique).

Muitas vezes, as pessoas ficam chocadas por verem que é alguém que gostavam muito. Talvez o fantasma queira apenas dizer-lhe algo antes de deixar o mundo dos vivos.

Se por acaso sentir ter um espírito ou uma energia negativa em seu redor, tente recordar alguns aspectos:

1) Ter receio de um fantasma é o mesmo que alimentar o poder do espírito mal intencionado. Não se deixe amedrontar por fantasmas. Você não tem nada a temer, porque o medo é criado na mente.

2) Dizer severamente (porem sem ofensa) para o espírito deixar este mundo e ir para onde pertence. Dizer a fantasmas negativos que verão outros espíritos que são chamados para os dirigir e guiar e que assim será tratado com amor e perdoado, não importa o que fizeram ou o que não fizeram anteriormente.

3) Se ainda assim o fantasma continuar a amedrontá-lo insista e diga-lhes para que não estejam preocupados sobre a punição, dizer-lhes que não estão sujeitos ao “inferno eternal” e que serão sempre tratados com o amor e ajudados a absterem-se de toda a culpa e serão contemplados com o perdão. Mantenha-se firme e continue seguindo estes passos até que o fantasma deixe de o perseguir. 

Nenhum comentário: