25/06/2014

Brasil Nazista



Nos anos 30, o Brasil estava muito ligado à Alemanha, pois esse país era um dos principais compradores de nossos produtos. Os dois eram tão próximos que membros da polícia e do Exército Brasileiro treinaram com a famosa Gestapo (polícia secreta alemã).

Porém não foi apenas isso que o Brasil fez com Hitler. Há documentos que revelam a entrega de judeus para os alemães antes da Guerra, além de uma passeata com mais de dois mil nazistas uniformizados em Santa Catarina no ano de 42.

Inclusive, depois que alguns arquivos secretos chamados Circulares Secretas foram revelados nos anos 80, foi possível ver que o Brasil estava contra os judeus, tanto que pedia aos diplomatas no exterior a não conceder vistos a eles e a outras minorias.

Para nossa sorte, Getúlio Vargas acabou se separando do governo alemão e escolheu os Aliados, graças a fatos econômicos e culturais, caso contrário poderíamos ter ajudado Hitler na Guerra Mundial.
Contudo, mesmo depois de ter deixado de lados os pensamentos mistas e a parceria com a Alemanha, o governo brasileiro ainda usou táticas desumanas utilizadas por Hitler e seus aliados.

regime_militar_nazismo

Uma das coisas que fizeram os nazistas serem odiados por todos foram os campos de concentração, mas nosso país também fez a mesma coisa. Durante a Guerra, o Ministério da Justiça manteve mais de 30 campos de concentração espalhados pelo país, onde presos eram obrigados a trabalhar até a exaustão, muitas vezes sem alimentação. Pessoas suspeitas de serem nazistas não podiam receber visitas e eram torturadas. Durante a guerra, mais de cinco mil foram presos nos campos de concentração brasileiros, que só eram diferentes dos nazistas porque não tinham câmara de gás.

Esse é mais um capítulo obscuro da história brasileira, que poucos conhecem…
Leia Mais

16/06/2014

666 : Os 7 Principais Significados



PRIMEIRO SIGNIFICADO

"e que ninguém pudesse comprar ou vender, se não fosse marcado com o nome da Besta, ou o número do seu nome. Eis aqui a sabedoria! Quem tiver inteligência, calcule o número da Besta, porque é número de homem, e esse número é seiscentos e sessenta e seis." (Apocalipse 13:17-18)

O número 666 é relatado na Bíblia como o número da besta e também é o número de homem, ou seja, não é um símbolo místico, mas algo criado pelo homem.

Como evidentemente trata-se de mais um símbolo materialista, poderemos analogamente associá-lo ao padrão monetário, tão usado nos sistemas modernos.

Certamente o profeta previu uma mudança radical no antigo sistema de moedas que possuíam seus valores relativos aos materiais usados. Com o avanço do sistema seriam criadas moedas, ou papéis-moeda obedecendo a certo padrão. Por isso o número 666 representa "a soma dos valores de um modelo de padrão monetário", imaginando-se que os algarismos romanos, padrão do Império dominante na época em que escreveu essas profecias, seria a base para tal modelo.

Neste caso as moedas teriam valores semelhantes ao padrão romano, ou seja, seriam simbolizados pelos algarismos romanos: I=1, V=5, X=10, L=50, C=100 e D=500. Soma: 666. Também ao ler-se no sentido inverso (sentido da leitura judaica) obtém-se 666 (DCLXVI).

De fato, somando-se estes valores (como um padrão monetário modelo) teremos o famoso número da Besta: 666. Foi mais uma "invenção" do homem em favor do materialismo consumista dos nossos dias. Sabemos que os números romanos são 7 (ainda falta aí o M q simboliza 1000), a representação do 666 apenas englobaria os 6 primeiros números romanos (o 6 na Bíblia simboliza o homem), pois o 7 simboliza a perfeição da criação divina e o número 1000 tem significado especial, sendo equivalente ao sétimo número romano representado pela letra M . O número mil representa a perfeita criação pois além de ser o sétimo número romano , significa 1+999, ou seja a perfeição de Deus e aqueles que alcançaram a salvação (999) em contrapartida aos que não alcançaram (666), os que alcançaram são simbolizadas pelos círculos acima (999), os que não alcançaram estão representados pelos círculos abaixo (666)

Fica evidente que a marca da besta é o dinheiro e sua principal característica é o materialismo.

A soma dos 6 primeiros algarismos romanos é 666:

1+5+10+50+100+500 = 666

Tanto Europa como Estados Unidos já tiveram cédulas com todos esses valores, na Europa a de 500 ainda existe e nos Estados Unidos foi retirada de circulação perto do inicio dos anos 70

nota de 500 dolares, os significados do 666

Ninguém poderá comprar ou vender se não tiver a marca o que é uma verdade. O principal símbolo do dinheiro ou da moeda monetária são esses números, mesmo que você compre com cheque ou cartão de crédito.

O dinheiro é o símbolo do materialismo que está em oposição aos valores espirituais, a maioria das guerras e conflitos mundiais ocorreu exatamente pelo amor ao dinheiro. Como diz a Bíblia:

"Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a constância, a mansidão. Peleja a boa peleja da fé, apodera-te da vida eterna, para a qual foste chamado" (1 Timóteo 6:10-12)

A palavra besta que aparece na Bíblia é uma tradução da palavra grega therion que significa animal ferozdantesco. Por isso que no Apocalipse a besta aparece associada ao dragão, primitiva serpente e tem como nome destruidor (Abadon, Apolion) que são sinônimos para a mitológica criatura egípcia conhecida na antiguidade como Apep, representada como uma gigantesca primitiva serpente que vivia no abismo. Apep significa destruidor e entre os gregos ficou conhecido como Apophis, o nome do asteróide que virá dos céus e relatado metaforicamente por João como a primitiva serpente que é precipitada na Terra, a besta que sobe do abismo, revelações veladas na época, mas nos dias de hoje são plenamente compreendidas como uma clara referência ao asteróide Apophis representante do terrível Apep, a serpente do abismo que vem demarcar o auge da Grande Tribulação.

Mas porque o dinheiro é a marca do Apophis? Simplesmente porque o Apophis vem para arrebatar (tirar de forma violenta da Terra) todas as almas que não perseveraram na caridade (Mateus24), todas as almas materialistas e com amor ao dinheiro e levá-las para outro planeta, fora do nosso sistema solar, semelhante a Terra de 200 mil anos atrás, um mundo sem conforto, com feras, lagos vulcânicos, dor e ranger de dentes, onde estas almas falidas recomeçarão sua jornada evolutiva.

O APOPHIS vai levar todos aqueles que têm a marca do dinheiro e do materialismo em suas almas, aqueles que dedicaram a vida a acumular bens e riquezas, que ergueram templos suntuosos ao invés de alimentar os fiéis mais humildes, esses serão levados pelo DESTRUIDOR e pagarão até o último ceitil daquilo que plantaram.


SEGUNDO SIGNIFICADO

O 666 representa 2 terços, ou seja, a porcentagem de pessoas q será exilada pra outro orbe, sofrendo assim a "segunda morte" (2 divido por 3 é 0,666... ao infinito)

A base Bíblica está em Zacarias:

"Em toda a terra - oráculo do Senhor - dois terços dos habitantes serão exterminados e um terço subsistirá. Mas farei passar este terço pelo fogo; purificá-lo-ei como se purifica a prata, prová-lo-ei como se prova o ouro. Então ele invocará o meu nome, eu o ouvirei, e direi: Este é o meu povo; e ele responderá: O Senhor é o meu Deus. " ( Zacarias 13: 8-9)

Esses 2/3 não possuem a persistência necessária na caridade citada em Mateus:

“E, ante o progresso crescente da iniqüidade, a caridade de muitos esfriará. Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo.” (24:12-13)


TERCEIRO SIGNIFICADO

A soma dos números de 1 até 36 equivale a 666, ou seja, 1+2+3+4+5+.....+34+35+36 = 666. Como vimos, será exatamente em 2036 quando o asteróide Apophis, a representação da primitiva serpente, o rei do abismo chamado de destruidor (Apolion, Abadon), a besta que sobe do abismo, efetuará o auge da Grande Tribulação, prevista também por Daniel na profecia dos 70 períodos que foi citada por Jesus em Mateus capítulo 24, profecia essa que também aponta para o ano de 2036. Ela fala do avassalador (sinônimo de destruidor) vindo nas asas da abominação, exatamente como uma serpente voadora (dragão vermelho citado por João na Revelação capítulo 12) exatamente uma metáfora para a figura de um grande asteróide vermelho (Apophis) cruzando o céu e deixando no rastro das nuvens o formato semelhante ao de uma serpente. Eis o significado da visão que João relatou na Revelação e foi também vista por Daniel.   
Asteroide vindo do ceu com cauda, dragao precipitado, significados 666

QUARTO SIGNIFICADO

A 18ª letra do alfabeto grego é “Sigma” que equivale ao “s” do nosso alfabeto. 6+6+6 é igual á 18. A Alemanha das duas grandes guerras, uma das representações da besta, tinha como principal símbolo do nazismo a Suástica e a principal força de combate a SS, deixando clara a ligação com o 666. A Alemanha foi também a representação do cavalo vermelho descrito no Apocalipse e isso fica evidente no horrível hino de Hitler:

”Nós somos o exército da suástica,

Erguemos as bandeiras vermelhas

O trabalhador alemão nós queremos

Assim trazer para a liberdade."

Para completar a evidência que liga o 666 á Alemanha como uma representação da besta durante as duas grandes guerras e como o cavalo vermelho descrito na abertura do segundo selo, temos mais uma evidência:

No Apocalipse é dito que é uma marca: "tivessem um sinal na mão direita e na fronte" (Ap 13:12)

Todos os militares alemães usavam um quepe (sobre parte da fronte) que ostentava o símbolo do nazismo, e o sinal de saudação á Hitler era erguer exatamente a mão direita, conhecida inclusive como saudação nazi. Fica claro, portanto, a ligação da Alemanha das duas grandes guerras com o número da besta.

Quepe, os significados do 666

QUINTO SIGNIFICADO

Como já vimos a pouco nos outros significados, o grande responsável pelo auge da Tribulação será o asteróide Apophis em sua passagem nos idos de 2036. A ligação desse monstruoso evento também possui mais uma ligação com o 666, que está em Apocalipse 6:12

“Depois vi o Cordeiro abrir o sexto selo; e sobreveio então um grande terremoto. O Sol se escureceu como um tecido de crina, a Lua tornou-se toda vermelha como sangue” (Apocalipse 6:12)

Fica evidente que o capítulo e versículo expressam o 666 da seguinte forma 6:6+6. Além disso, temos duas informações veladas nesse versículo: João fala na escuridão como tecido de crina numa clara referência a ação terrível do último dos 4 cavalos, visto que a crina é pertencente a esse animal que no caso vem montado pelo cavaleiro de nome Morte e é relatado que a “região dos mortos o seguia” (Ap 6:8), ou seja , uma clara referência ao abismo, a região da escuridão, exatamente de onde Apep/Apophis emerge figurativamente como o cavaleiro da Morte, o asteróide destruidor.

Ele é o mensageiro (anjo que vem do latim ângelus e significa "mensageiro") e rei do abismo como descrito em Apocalipse 9:11, tendo o nome de Apolion e Abadon, que também significam destruidor, por isso que a região dos mortos o segue no relato do quarto selo, pois ele é alegoricamente o rei do abismo, exatamente como a mitologia egípcia da serpente Apep (Apophis). Por fim vemos que é dito: “a Lua tornou-se vermelha como sangue”, nos remetendo novamente a narrativa de Apocalipse 12 com o relato de um “dragão vermelho, primitiva serpente, vem dos céus varrendo com sua cauda as estrelas do céu” denotando a grande aproximação do Apophis. Ela será tão grande que obscurecerá a Lua, a qual ficará com a aparência rubra do asteróide vermelho, que ao se mover no céu parecerá uma serpente alada com o seu rastro nas nuvens, encobrindo a visão do satélite lunar.

Não apenas no último livro bíblico como também no primeiro, vemos a expressão do 666:

“Deus olhou para a terra e viu que ela estava corrompida: toda a criatura seguia o caminho da corrupção” (Gênesis 6:12)


SEXTO SIGNIFICADO

A abertura do sexto selo, o tocar da sexta trombeta e o derramamento da sexta taça resumem a visão do 666:

“Depois vi o Cordeiro abrir o sexto selo; e sobreveio então um grande terremoto. O Sol se escureceu como um tecido de crina, a Lua tornou-se toda vermelha como sangue” (Ap 6:12)

“e que dizia ao sexto anjo que tinha a trombeta: Solta os quatro Anjos que estão acorrentados à beira do grande rio Eufrates. Então foram soltos os quatro Anjos que se conservavam preparados para a hora, o dia, o mês e o ano da matança da terça parte dos homens... O número de soldados desta cavalaria era de duzentos milhões. Eu ouvi o seu número.“ (Ap 9:14-16)

“O sexto derramou a sua taça sobre o grande rio Eufrates, e secaram-se as suas águas para que se abrisse caminho aos reis do oriente”. (Ap 16:12)

Aqui estão relatados os dois últimos “ais” do Apocalipse: o Armagedon e o Mega terremoto de San Andreas representando o 666 através da 6ª taça, 6ª trombeta e 6ª selo.


SÉTIMO SIGNIFICADO

Aqui temos o significado simbólico do nascimento da nova humanidade regenerada (Nova Jerusalém) após as dores do parto, dores esses que se tornarão cada vez mais intensas até que culminem com a chegada desse novo tempo após as tempestades da Grande Tribulação e seu ápice no grande dia do Senhor.

Como vimos a soma dos números de zero a 36 é 666.

36 é o numero médio de semanas que uma mulher demora a ter o bebê, pois temos 4 semanas por mês, considerando que a gravidez leva 9 meses, temos então 36 semanas em 9 meses.

O ano 36 do terceiro milênio será como um símbolo do nascimento da nova humanidade regenerada, passando pelas dores do parto. Essa simbologia corrobora com Apocalipse 13:18 que diz que o 666 é número de homem, e todos os homens necessitam passar pelo nascimento para chegar a Terra.

E como já vimos será exatamente em 2036 o grande dia do Senhor, exatamente 24 de abril de 2036. Assim diz a Bíblia sobre esse dia e as dores do parto:

“Lamentai-vos, porque o dia do Senhor está próximo como uma devastação provocada pelo Todo-poderoso. Por causa disso todos perdem a coragem; ficam cheios de terror... Tomados de convulsões e dores, eles se retorcem como uma mulher em parto. Olham uns para os outros e têm o rosto em fogo. Eis que virá o dia do Senhor, dia implacável, de furor e de cólera ardente, para reduzir a terra a um deserto, e dela exterminar os pecadores. Nem as estrelas do céu, nem suas constelações brilhantes, farão resplandecer sua luz; o sol se obscurecerá desde o nascer, e a lua já não enviará sua luz. Punirei o mundo por seus crimes, e os pecadores por suas maldades. Abaterei o orgulho dos arrogantes e humilharei a pretensão dos tiranos. Farei oscilar os céus, e a terra abalada será sacudida pela ira do Senhor Deus dos exércitos, no dia do seu furor ardente.” (Isaías 13:6-13)


 http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com
Leia Mais

07/06/2014

Como obter ajuda do Anjo da Guarda


Os Anjos podem mudar sua vida. E tudo o que terá de fazer é pedir que eles o ajudem. Apenas isso. Vamos considerar alquimicamente essa decisão, analisando suas quatro condições necessárias: querer, poder, saber e ousar.
Querer Dou como certo que você quer entabular essa comunicação e que deseja realmente pedir ajuda aos planos superiores da existência. O querer é o motor de tudo. E se esse motor falhar ou inexistir, não haverá possibilidade de atingirmos a meta nem de obtermos resultado algum, por muito que essa meta e esses resultados tão desejados estejam nos esperando após a primeira curva do caminho.
Poder todos podemos. Nem mesmo o fato de não se acreditar na existência dos Anjos será um impedimento para recorrermos a eles e nos beneficiarmos de sua ajuda. É mais do que certo que o poder da fé é enorme e que ela “move montanhas”, mas nesse caso seu papel – embora ajude a estabelecer a comunicação – não é primordial. Não estamos aqui tratando de nenhum tipo de “auto-ajuda”, “auto-programação” ou “auto-hipnose”, mas sim de pedir – e obter – o auxílio de seres tão reais como nós, mesmo que nossos sentidos não sejam capazes de percebê-los.
Saber -na realidade, não existe protocolo nem normas estabelecidas. Qualquer chamada, qualquer tentativa de nos dirigirmos a eles que seja sincera e parta do coração chegará, será ouvida e atendida. No entanto, para evitar interferências é bom ter as seguintes recomendações em mente, que não passam de leis universais aplicadas a este caso em particular.
     1. Evitar a pressa e a precipitação. Mesmo que as chamadas urgentes e desesperadas sejam prontamente atendidas, o contato com nosso Anjo da guarda – ou qualquer outro – se realiza melhor em uma atmosfera de calma e tranquilidade, tanto interior como exterior.
     2. Lembrar-se sempre do imenso poder criativo da palavra. A fala inconsciente e ociosa contém sempre um perigo, e esse perigo se multiplica por mil quando os termos empregados têm uma carga transcendente ou divina. Na Religião judaica, a proibição de pronunciar o nome de Deus não precisa de justificativa. Até hoje, nos países de língua francesa, a expressão Nom de Dieu!, que para nós soa muito inocente, é considerada uma das piores blasfêmias a ser pronunciadas. E precisamente um dos mais frequentes abusos das palavras são as blasfêmias e as maldições. Por isso é conveniente evitarmos a companhia daqueles que costumam contaminar o espaço com palavras ociosas, para que a energia positiva não se distancie dali. É importante abster-se do emprego inconsciente daqueles termos que se referem ao mais sagrado: Deus, Jesus, a Virgem e todas as combinações de letras que nos ligam, de um modo ou de outro, aos planos superiores. O uso dessas palavras sempre provoca um efeito, e sua utilização em momentos de cólera ou rancor tem a mesma consequência de jogar uma pedra para o alto e ela, ao cair, atingir nossa própria cabeça. Tudo irá melhor na nossa vida se reservarmos as palavras importantes para momentos importantes.
     3. Empregar sempre o tempo presente em nossos pedidos. No mundo dos Anjos não existe passado nem futuro; o sábio sufi Nasafi escreveu há mais de 1300 anos: “Os Anjos estão no mundo invisível, eles mesmos são o mundo invisível. Nesse mundo não há ontem nem amanhã, nem passado nem ano presente nem próximo ano. Indiferentemente, 100mil anos passados e 100 mil anos futuros estão presentes. Já que o mundo do invisível não é o mundo dos contrários, a oposição é apenas um produto do mundo visível. O tempo e a dimensão temporal existem somente para nós, filhos das esferas e das estrelas, habitantes do mundo visível. No mundo invisível, não há tempo, nem dimensão temporal. Tudo o que existiu, existe e irá existir, está sempre presente”. Portanto, devemos nos esforçar para não utilizar o passado e o futuro em nossos pedidos, a fim de evitarmos que seja difícil para o nosso Anjo captá-los. Lembre-se de que ele só conhece “o agora”.
     4. Expressar-se sempre de uma maneira positiva. Por exemplo, jamais devemos pedir: “Que eu não perca meu emprego” ou “Que meu marido não morra”, e sim, pedir aquilo que de fato desejamos, de forma simples e direta: “Manter nosso trabalho” ou “que meu marido tenha sempre saúde e que o amor reine em nosso casamento”. Ao utilizarmos frases negativas, mesmo que de maneira inconsciente, já estaremos imaginando a perda, a derrota, e será isso o que transmitiremos aos planos mais sutis da realidade e aos seres que atenderão às nossas súplicas; como consequência, é bem provável que seja isso o que obteremos no final.
     5. Considerar o assunto terminado, até incluindo no pedido agradecimentos por já ter sido resolvido o problema apresentado. Essa é a forma mais efetiva de eliminar as dúvidas, que com certeza também seriam transmitidas, criando obstáculos em todo o processo. Trata-se de evitar por todos os meios que, enquanto nos dedicamos a fazer o pedido da melhor maneira possível, nossa mente esteja, na realidade, transmitindo: quero isto, mas não tenho muita certeza de que este pedido servirá para algo. Qual das duas idéias os Anjos deverão captar?
     6. Sermos muito cuidadosos, pois receberemos exatamente aquilo que estamos solicitando, com toda uma série de implicações- inerentes ao fato ou ao objeto desejado – que talvez não consigamos imaginar. Convém compararmos as circunstâncias e as situações da vida com uma moeda: é impossível ter uma moeda com apenas uma face. Quem quiser possuí-la, forçosamente terá a moeda com duas faces.
     7. Sermos claros e concisos, evitando as incongruências. Os Anjos não gostam de ouvir bobagens. Nunca devemos cair no absurdo de brincar com orações, como, por exemplo: “Senhor, dai-me paciência, mas a quero já”; nem de fazer pedidos malucos como o de um marido que deseja que a esposa lhe seja fiel, enquanto ele a trai com diversas amantes; nem de ter falsas atitudes como a de um ladrão profissional que assiste à missa e comunga todos os dias antes de iniciar sua jornada de “trabalho”.
     8. Finalmente, é importante dar as graças. Isto fecha e conclui o ciclo. A ação de agradecer consolida o favor obtido e nos confere título de propriedade sobre ele. Omitir o agradecimento é deixar aberto um círculo, pelo qual a energia pode escapar deixando efeitos indesejados.
Ousar – o passo mais decisivo é ousar a abordagem de um tipo de comunicação e de relação totalmente diferente. O primeiro passo é ousarmos pensar que, mesmo que nosso sentidos não captem os Anjos, existe a possibilidade de que sejam uma realidade e de que uma comunicação deles conosco é perfeitamente possível. Quem já possui essa crença precisa evitar acreditar que se trata de algo próprio de sua Religião. Não é assim. Estamos falando de uma realidade que supera e transcende todas as religiões. Por isso é conveniente desprender-se de todo sentimento de exclusividade religiosa. De imediato, devemos deixar de nos sentirmos privilegiados porque professamos a “verdadeira” religião. Todas as religiões são verdadeiras para seus seguidores e todas são falsas para os demais. A crença que nossa religião é verdadeira e as demais falsas será apenas um obstáculo no caminho do nosso progresso espiritual – e da nossa salvação -, um obstáculo que, mais cedo ou mais tarde, teremos de eliminar.
     Os que não acreditam que os Anjos existem – e que eles desejam nos ajudar – deverão adotar essa possibilidade como uma hipótese de trabalho, e pensar que se a existência dos Anjos é real, essa realidade terá de ser muito mais forte que qualquer bloqueio originado por sua incredulidade, e capaz de vencer tal bloqueio e de manifestar-se, senão de uma maneira sensível – dadas as limitações dos nosso sentidos -, com fatos, pois, no fim das contas, são esse que nos interessam. Temos que nos atrever a iniciar uma comunicação com os anjos e lhes pedir ajuda, porém mantendo a mente totalmente aberta, sem querer forçosamente encurralá-los com nossas idéias preconcebidas.
“Peçam, e lhes será dado! Procurem, e encontrarão! Batam, e abrirão a porta para vocês! Pois todo aquele que pede, recebe; quem procura, acha; e a quem bate, a porta será aberta. Quem de vocês dá ao filho uma pedra quando ele pede um pão?   (Mateus 7,7-9)
http://www.portalangels.com/
Leia Mais

© Dállia Negra - 2016 | Template feito por: Adorável Design | Imagens de ícones e imagem do cabeçalho por: Jaque Design