27/08/2014

A rica e festiva cultura dos ciganos


Em algum ponto turístico ou praça da sua cidade, você certamente já deve ter encontrado uma mulher simpática, de olhos grandes e roupas coloridas, disposta a ler sua sorte em troca de algumas moedas. Esse pode ser seu primeiro encontro com os ciganos, mas não se deixe levar pelos estereótipos quando conversar com um deles. Conheça neste artigo alguns dos traços mais surpreendentes que enriquecem sua cultura. 

QUEM SÃO OS CIGANOS? 

Os ciganos – também conhecidos como romanis – são um povo nômade originário da Índia, que se disseminou e fincou raízes em todo o mundo. Embora a maior parte viva na Europa, sobretudo na Espanha, também há comunidades de ciganos nos Estados Unidos. Como os curdos e judeus antes da criação de Israel, os ciganos não têm um Estado ou território definidos e, portanto, não têm um governo nem leis constituídas. Eles se adaptam às políticas do país em que vivem, mas mantêm e respeitam suas próprias tradições, que variam entre os vários subgrupos.

Exatamente por esse fato, é difícil falar em uma etnia única, que compartilhe as mesmas características sociais, culturais e antropométricas. A língua romani também não é homogênea e eles tendem a adotar o idioma do país onde residem, assim como a religião. Um exemplo disso é a comunidade dos Estados Unidos que, em grande parte abraça o protestantismo ou o catolicismo, como a maioria dos norte-americanos. Dada a sua diversidade, é difícil obter dados confiáveis de um censo comum. O número total de ciganos é estimado em 12 milhões, sendo que dez milhões vivem na Europa – são a maior minoria étnica da União Europeia –, embora algumas fontes afirmem que são 40 milhões, se incluirmos a população cigana da Índia. 

Ainda são desconhecidas as razões pelas quais os ciganos migraram da Ásia para o Ocidente a partir do século 12, mas sabe-se que se envolveram em vários confrontos com etnias locais devido à alta valorização da liberdade. O nomadismo foi uma consequência da discriminação e da perseguição sofridos pelo povo cigano. Em sua história, destacam-se duas grandes migrações: uma no século 19 para a América, aproveitando as rotas europeias para o novo continente, e outra no século 20, partindo da Europa Oriental para o centro do continente, devido à instabilidade política e econômica na região. 

CIGANOS NA AMÉRICA DO SUL 

Embora seu principal local de residência seja a Europa, os ciganos chegaram à América há muito tempo, estabelecendo-se principalmente nos Estados Unidos, onde são conhecidos como “gypsies”, nome dado aos vários grupos que vivem no país. Entre eles, podemos citar: 

Rom: Este grupo chegou aos Estados Unidos vindo da Sérvia, Rússia e Áustria no século 19 e início do século 20. Foram responsáveis por transformar a adivinhação em um negócio lucrativo nas áreas urbanas. 

Ludar: Também conhecido como "ciganos romenos”, chegaram aos Estados Unidos entre 1880 e 1914, vindos sobretudo do noroeste da Bósnia. Na América, especializaram-se como domadores de animais. 

Romnichels: Vindos da Inglaterra, começaram a chegar aos Estados Unidos em 1850. Muitos trabalhavam como vendedores de cavalos até a Segunda Guerra Mundial, quando passaram a se dedicar à cestaria, à fabricação de móveis rústicos e também à adivinhação. 

SEIS CURIOSIDADES SOBRE OS COSTUMES CIGANOS 

1. Quando um cigano se apaixona, deve falar com os pais da pretendente, geralmente acompanhado da família. Os homens costumam se casar antes dos 20 anos, e as mulheres, até os 16. Em algumas famílias mais tradicionais, o noivo deve pagar um dote, que hoje consiste em bens negociados entre as partes – antigamente, eram 25 moedas de ouro. O dote serve como compensação pela perda da filha à família da noiva. Também é comum que os noivos não se conheçam até o dia do casamento. 

2. No dia do casamento, a família do noivo comprova se a jovem é virgem. A tarefa é realizada por uma parente mais velha, em uma sala trancada ao lado da festa. Se a menina não for mais virgem, o casamento é cancelado. A lei cigana exige que o marido seja totalmente fiel à esposa, razão da exigência de “pureza” da noiva. 

3. Depois do casamento, a mulher deve usar um lenço na cabeça para mostrar a perda da virgindade e o fato de pertencer a um homem. Também devem usar cabelos compridos como um sinal de feminilidade – uma cigana de cabelos curtos indica punição e desonra da família. 

4. Segundo uma de suas crenças, o corpo humano da cintura para baixo é “marimé” (impuro) e “não marimé” (puro) da cintura para cima. Por isso, eles usam duas toalhas para secar cada parte do corpo depois do banho. Se uma mulher passar por cima de um utensílio de cozinha no chão, ele se torna “marimé” e precisa ser descartado. 

5. Os ciganos são muito solidários com a comunidade e se ajudam mutuamente. Se um deles precisar de dinheiro para comprar uma casa, por exemplo, todos se unem para arrecadar o valor necessário. 

6. O Dia Internacional dos Ciganos é celebrado em 8 de abril, em comemoração à criação do hino e da bandeira da comunidade em Londres, em 1971. 

CIGANOS FAMOSOS 

Existem muitos ciganos famosos, sobretudo no campo das arte, que souberam superar as barreiras da tradição e compartilhar seu talento fora de suas comunidades originais. Entre eles, podemos citar artistas como o bailarino Joaquín Cortés, atores como Charlie Chaplin, Michael Caine e Rosario Flores, músicos como Robert Plant (Led Zeppelin) e Ron Wood (Rolling Stones), e jogadores de futebol como Eric Cantona e Andrea Pirlo. 

Para saber mais sobre o fascinante estilo de vida desse povo, não perca IRMÃS CIGANAS, todas as quartas, às 20h40, no TLC. 

Por Pablo Huerta 

http://www.tlctv.com.br/a-rica-e-festiva-cultura-dos-ciganos/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Dállia Negra - 2016 | Template feito por: Adorável Design | Imagens de ícones e imagem do cabeçalho por: Jaque Design