Seres Míticos

[Seres Míticos][bleft]

Lendas

[Lendas][bsummary]

Personagens Ocultistas

[Personagens Ocultistas][twocolumns]

Animes Extremamente Violentos


Com este post, apresento a todos alguns dos animes mais violentos que existem, e que muitas pessoas nem sequer conhecem. Serei breve e claro. 




Bokusatsu Tenshi Dokuro-chan 

 Pois bem, aqui temos o jovem Sakura Kusakabe (nada de bom pode vir de alguém chamado “Sakura”), um estudante comum, que está destinado a fazer da Terra o MUNDO PEDÓFILO, ao criar uma tecnologia que impede as meninas de envelhecerem após completarem 12 anos. 

 Deus fica enfurecido com isso, pois o garoto indiretamente criou a imortalidade. Para remediar a situação, é enviada uma anjinha assassina chamada Dokuro, para reduzir o menino a uma névoa vermelha. Enfim, Dokuro não quer matar o menino e resolve colocá-lo no bom caminho, para isso ela o provoca impiedosamente e lhe mostra sua calcinha sempre que tem a oportunidade, o que marca este como o melhor estilo de reabilitação já criado.

Agora porque este anime é violento? Por em que todo os episódios, Dokuro-chan mata o rapaz sem querer, e de formas cada mais violentas. Extremamente violento, entretanto muito engraçado também. 


 Ninja Scroll 

Desse aqui você ouviu falar, tenho certeza! Qualquer um que se diga Otaku, tem que ter visto este filme! A história nos mostra Jubei, um espadachim errante que tem assuntos a tratar com um cara que o ferrou e a seus companheiros de batalha no passado. Temos uma disputa entre o governo e o cara em questão por causa de uma mina de ouro e no meio do caminho, muita gente morre de formas horrendas. Jubei conhece também Kaede, uma ninja que se torna sua companhia relutante ao longo da história e que é a personagem mais interessante do longa. 

Ninja Scroll tem belíssimas cenas de ação que sempre acabam mal pra um dos envolvidos, ou alguém acaba com uma lâmina enfiada no crânio, ou perde os braços, ou é partido ao meio. Mortes limpas não são uma constante aqui. 

Mas definitivamente, a cena que fica gravada a ferro em brasa na memória de todos que assistem a esse filme, é o estupro de Kaede. Ela faz a cara de nojo mais notável que já vi em uma animação, como se estivesse apertando os dentes com toda a força pra não morder a própria língua. E os únicos sons que saem de sua garganta vêm do esforço astronômico que ela faz pra não vomitar durante esta provação. E em seguida, em um dos raros momentos de fraquezas demonstrados por ela, Kaede se curva no chão e chora, com nojo de si mesma e de todos, devido ao que lhe aconteceu. Novamente, uma atitude que me parece bastante realista para uma mulher que foi violada de forma tão brutal. 



 Ninja Resurrection 

 Amakusa, que é o personagem principal, é assassinado, porém não fica na dele e faz um pacto com o capeta para obter sua vingança. Mais ainda, ele traz de volta a vida personagens históricos e lazarentos para auxiliá-lo nessa missão. 

Devo dizer que Ninja Resurrection foi o Anime mais grotesco no fim dos anos 90. No primeiro episódio, Jubei Yagiu, o samurai mais usado da história do Japão, junta seu pelotão de soldados ninjas e ataca a rebelião de Shimabara sozinho, fatiando todo mundo que encontra pelo caminho. Duas crianças são mortas no processo e Jubei usa suas cabecinhas decapitadas como forma de distrair Amakusa a fim de lhe dar o golpe fatal. No segundo, temos um estupro que parte uma garota ao meio, desmembramentos, um guerreiro estripado que usa seus intestinos como tentáculos para matar seus agressores e Amakusa renascendo como um demônio. Agora, quando eu falo “renascendo”, entenda isso literalmente. Uma garota é fecundada, tem uma gestação completa em segundos e Amakusa sai de dentro dela já adulto, e de fato, ele força uma cesariana na menina pra sair. Mais alguma coisa? 



Baoh – The Visitor 

Conversemos então de um OVA totalmente obscuro, sobre o qual acredito que muita gente sequer ouviu falar. 

Em Baoh, boa parte do enredo foi roubado do Kamen Rider original, o resto foi copiado de filmes de Hollywood, com uma pitada de coisas genéricas encontradas em ficção científica Japonesa. 

Aqui temos Ikurou, um rapaz que é seqüestrado por uma organização maligna e que tem um parasita implantado em seu cérebro, o que lhe dá super poderes e o torna praticamente invencível. Logicamente ele foge, faz amizade com Sumire, uma menina sensitiva e mata todos os capangas que os vilões mandam contra ele. 

Baoh é cheio daquela violência exagerada, gratuita e totalmente desnecessária tão presente em Animes das décadas de 1980 e 1990 onde pessoas derretem, são incineradas, desmembradas, temos um bocado de decapitações e um sujeito é usado como aríete para derrubar uma parede. 



 Violence Jack 

O enredo do OVA normalmente consiste dos seguintes fatos: Jack aparece, pessoas falam palavras, atrocidades acontecem e o herói da história mata todos os maus de maneiras abomináveis. Por cinqüenta minutos, crianças são mortas, pessoas são desmembradas e evisceradas, temos MUITAS cenas de estupro (nenhuma mulher da história escapa intacta). Aliás, os estupros aqui não são nem um pouco discretos, há genitálias e penetração claras, o que torna este um dos poucos materiais criados por um autor de renome do Japão que pode ser considerado Hentai. 



Angel Cop 

Angel Cop é ruim, tem uma péssima história, resoluções estapafúrdias, personagens nada críveis e a protagonista de anime mais odiosa que alguém já teve o trabalho de criar. 

A história se passa na década de 1990 e o Japão é a maior potência mundial. Um grupo terrorista chamado Red May causa diversos atentados com a intenção de promover os planos do partido Comunista no país e os únicos que podem detê-los são os membros da S.S.F. 

Enfim, os membros da S.S.F tem permissão para usar de todo e quaisquer meio disponível para se livrarem dos malfeitores e é exatamente isso que Angel, heroína da história o faz. Logo em sua primeira cena, ela executa uma secretária com dois tiros no peito e dois na cabeça, espalhando os miolos da moça pela parede. 

E mais, em um bate papo com seu parceiro Raiden, ela afirma que não hesitaria em atirar caso um terrorista usasse uma criança como escudo. Dane-se o pimpolho, o que importa é cumprir a missão a qualquer custo. 

De fato, em uma cena a moça se depara com este impasse e não hesita em atirar no terrorista e na criança. Felizmente um sensitivo deteve as balas a tempo com sua telecinésia e salvou o guri. 

Angel Cop possui apenas seis episódios. 



 Genocyber 

Genocyber não perde tempo com o enredo, o desenho simplesmente acontece e é preciso prestar uma atenção brutal a tudo que rola na tela para se poder extrair um mínimo de sentido da série. Quanto à violência, é uma das mais desnecessariamente gratuitas de todos os tempos. Pessoas morrem de formas horríveis e nojentas sem motivo algum. 



 Elfen Lied 

 Elfen Lied narra a história das Diclonius, meninas com chifres (sejamos francos, são orelhas de gatinho) que são mostradas como o novo passo evolutivo da raça humana. Elas possuem o poder de controlar braços invisíveis chamados “Vetores”, com os quais podem segurar objetos, se locomover ou despedaçar e fatiar pessoas, o que acontece várias vezes ao longo da série. 

De facto, os dez minutos iniciais do primeiro episódio são a mais violenta apresentação de uma série animada que eu já vi. A protagonista Lucy foge do cativeiro onde esteve presa por anos e caminha calmamente até a saída, estraçalhando todos os que tentam detê-la. Em uma cena, uma das vítimas de Lucy é uma secretária atrapalhada e engraçadinha, que tinha tudo para ser o contrapeso cômico da série. Mal entra em cena e a menina é decapitada e seu corpo usado como escudo contra os guardas. 

Durante a fuga, Lucy leva um tiro na cabeça e cai no mar. Eventualmente ela vai parar em uma praia, sem memória, agindo como uma criança muito pequena e repetindo a palavra “Nyu” o tempo todo. Ela é encontrada pelo casal de primos Kohta e Yuka, que decidem cuidar dela. Apesar de se comportar de forma inocente e fofa a maior parte do tempo, vez ou outra “Nyu” volta a ser Lucy, então pessoas são fatiadas e desmembradas até que a menina reverte a sua forma mais inocente e inofensiva. 



 Hokuto no Ken - Gekijōban Seikimatsu Kyūseishu Densetsu 

 Bom, não há muito o que falar, se você se considera Otaku, ao menos já deve ter ouvido falar de Hokuto no Ken. 

Hokuto no Ken sempre foi violento, mas o mangá possuia uma elegância difícil de explicar. Claro, pessoas explodem, mas não é algo tão grotesco quanto a descrição faz parecer. Se você ler a série, entenderá o que quero dizer. 

O Anime ainda continha boas doses de violência, mas muito dela foi amenizada. Sempre que alguém ia explodir, ele se tornava um vulto e em seguida viamos apenas sua silhueta sofrendo os efeitos do nosso querido Hokuto Shinken. 

Mas no longa metragem, os produtores perderam a noção. Na cena que Heart é derrotado, sua pança infla antes de explodir, como em todas as versões da história. Mas no longa metragem seus intestinos são expelidos por um furo em sua barriga ao longo da cena e então serpenteiam em frente a câmera por um segundo. Quando Jagi é derrotado, a cabeça dele explode em close, como podem ver na imagem acima. Entretanto o enredo de Hokuto no Ken é muito bom e não deve ser deixado de lado.

Quem quiser ver a matéria mais completa, visite: Blog do Amer

http://www.nerdpsicotico.com/

Nenhum comentário: